sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Reflexões Irrefletidas






Algumas perguntas  tem me martelado a cabeça ultimamente. Uma delas:

-O que é 'destino?' Por que será que muitas vezes nos empenhamos ardentemente para atingir um objetivo que é justo e não-egoísta, em prol do bem estar de outras pessoas, e mesmo assim, não conseguimos bom resultado?

Tentar sanar o sofrimento alheio e não conseguir: qual a mensagem que existe nisto? Por que pessoas boas sofrem? Eu às vezes penso que Deus retirou-se. Simplesmente, cansou-se de nossas mazelas, e hoje, observa-nos, em nossas tentativas de tentar agir e resolver nossos problemas sem a sua ajuda.

Talvez Ele seja mesmo um bom pai, e saiba que para serem fortes, seus filhos precisam aprender a agir sozinhos. Pelo menos, é a única conclusão a que eu consigo chegar.

Vivemos tempos estranhos. Tudo parece perder o sentido quando vemos nossos objetivos esfacelando-se no chão, sem força, sem propósito e sem respostas. O mundo encontra-se em um imenso turbilhão, e é difícil enxergar através dele.

Sei que no meio disso tudo existe um propósito, e pensar o contrário, faria com que eu enlouquecesse de vez. Talvez nossas vontades se cruzem com outras vontades, e nossos sonhos estejam no caminho de alguma coisa maior que eles, a qual não compreendemos. 

Quem sabe, a serenidade esteja em não pensar. Quando nada dá certo, pode ser que é porque não depende de mim para que dê certo, e afinal, o que significa 'dar certo?' Nem isso eu sei responder... será que dar certo quer dizer que tudo deva acontecer da forma que eu quero? Ou será que existem um tempo, uma lição e um motivo que é para estas pessoas a quem não se pode ajudar?

Se um gênio da lâmpada aparecesse e me concedesse três desejos, eu pediria um, apenas: que todas as pessoas do mundo pudessem ser felizes e ter paz de espírito. Só isso. Mas não seria demais?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...