quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

COISAS








Naquele canteiro, havia dálias,
Bocas-de-leão,
Beijos, margaridas,
Misturadas aos tomates,
Couves, salsas e alfaces.

Encostado, um velocípede
Pintado de branco, enferrujado,
Na frente, da casa, um balanço,
Nos fundos, pés de frutas espalhados.

Os cães e gatos circulavam,
Latas d'água pelos cantos
No bambuzal, besourinhos
Coloridos e listrados,
Vagalumes, joaninhas,
E o musgo que grudava
Em volta da grutinha
De onde nos olhava
 Nossa Senhora.

Bolinhas de gude
Amarelinhas desenhadas
E a gente brincava,
E como brincava!...
Iam-se as horas.

As aranhas, tão temidas,
Penduradas nos vãos do telhados
Com suas teias sempre cheias
De insetos, que eu salvava
Quando dava,
Quando dava...

6 comentários:

  1. Que coisa mais linda,Ana!!Adorei te ler! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia minha querida amiga toda iluminada.
    Iluminada sempre
    nas palavras que leva até meu blog,
    com carinho sem igual.
    Sempre leio suas mensagens
    com muita, muita atenção
    pois tudo o que escreve
    desperta em mim emoção.
    Você é um amiga preciosa
    que cuidadosamente vou reter
    do lado esquerdo do peito
    para jamais o perder.
    Neste momento especial
    quero também desejar
    saúde paz e amor
    para sua vida encantar.
    Que as festas natalinas tenha te feito mais iluminada ...
    bjs com o sabor de restinho de festa !!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Adorei teu poema Ana! Muito bonito, simples, fofo, bom de ler, sem palavras difíceis, sem motivos orgulhosos, sem vaidade... Cada vez que visito teu blog me encanto mais contigo. Abraços

    R. Leroux ~> Blog Diretrizes da Vida

    ResponderExcluir
  4. Há momentos especiais que não se vão. Resistem em permanecer nas lembranças. Para nossa sorte.
    Ana, que Deus a abençoe muito nos próximos dias, assim como no novo ano que se aproxima. Que lhe dê sabedoria e luz, força e estímulo. Que nunca lhe falte amor, no dar e receber. Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Ana, me faz tão bem ler o que escreves... Nem imaginas o quanto!

    Estou órfã das palavras, amiga. Elas se foram... Não sei pra onde. Há tempos não consigo escrever nada. Porém, ler é um de meus pratos prediletos (que bom!)rs

    Obrigada por este momento tão rico de lembranças que me levaram longe... Tão longe...

    Lu C.

    ResponderExcluir
  6. Ana ficou lindo, pra mim uma viagem ao passado, que gostoso, beijos Luconi

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Ah, os Italianos! - Parte II

Pôr do sol em Florença... jamais esquecerei. Continuação do texto anterior LIXO – Quando fui jogar o lixo fora pela pri...