sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

PONTO FINAL






Não se chega a nenhum lugar
Quando não há lugar algum
Aonde se possa chegar.

Pontos de interrogação
Pontuam toda uma vida,
Vírgulas, tremas, parágrafos,
Mas nenhum final.

Pois a vida só é vida
Quando há mistério,
Quando é preciso
Pegar nos remos,
Fazer escolhas,
Cometer erros.

Uma viagem sem destino,
Mas levaremos conosco
Cada um, as suas linhas,
Vários itinerários,
Mas nenhum condutor
Além de nós mesmos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...