sábado, 15 de dezembro de 2012

O Último Natal












O ÚLTIMO NATAL




Para muitos de nós, este será o último natal. Aposto que ninguém aprecia esta ideia, mas é a mais pura verdade. Quais de nós estaremos aqui, no ano que vem? Este é um mistério, uma pergunta sem resposta. E cada vez mais, vão sobrando lugares à mesa no dia 25 de dezembro. 


Se você tem toda a sua família à volta da mesa, sinta-se feliz e agradecido! Aproveite bem cada momento, e na noite de natal, olhe bem para cada rosto, desfrute cada sorriso, valorize cada momento. Um dia, tudo será diferente. A vida é movimento constante, e algumas vezes, nos vemos à mercê destes movimentos, como barcos sem remos e sem leme. 

Sempre achei e morrerei achando que, as pessoas que deveriam ser mais consideradas por todos nós, são as da nossa família, e mesmo que a convivência seja difícil, sempre será possível quando soubermos respeitar o jeito de ser de cada um, seu direito de ter opiniões, seu espaço. Saber conviver é uma arte, e impormos a nossa vontade sobre os outros, esperando que pensem como nós ou que acatem sempre os nossos pontos de vista, só pode causar discórdia e afastamento. E mesmo quando há divergências, que saibamos expressá-las com educação, tolerância e respeito, de maneira privada, sem expor o outro ao ridículo. 


Neste natal, olhe bem para quem está à mesa com você, pensando no caminho que percorreram juntos até este momento. Pense bem em quem realmente é importante e tem feito diferença em sua vida. Reflita bem se vale a pena estragar tudo devido a rancores embutidos e rançosos, cultivados à revelia do outro ao longo dos anos, vinganças, ciúmes e invejas. Perceba que partilhar com o outro as suas alegrias, e alegrar-se sinceramente pelo sucesso do outro, respeitando o seu pequeno momento de brilhar, é sinal de elevação espiritual. 

Daqui a pouco, não estaremos mais fazendo parte desta mesa. Qualquer natal poderá ser o último. Valorize os que ainda lhe restam, pois eles jamais retornarão. 

Aprenda a amar sua mãe e seu pai pelo que eles são, relevando seus defeitos e aprendendo a ser tolerante e respeitoso. Aquele que não tem respeito e carinho por seus pais, jamais será capaz de amar ninguém de verdade. Quando pensar nos erros que eles cometeram com você, pense também nos erros que você cometeu contra eles, e verá que foram muito maiores! 

Entenda que os seus irmãos foram colocados em seu caminho por algum motivo; então, jamais dê preferência a estranhos do que a eles, pois os estranhos vão e vem, e na verdade, você nada sabe sobre eles. Alguns apenas se aproximam de você com a intenção de usar o que você tem, e quando o jogo de interesses termina, eles vão embora. 

O maior erro que os seres humanos cometem em relação uns aos outros, é o de pensar que podem ofender, humilhar, falar mal e criticar, e que terão a vida inteira para consertar tudo depois. Pensam: "Ele/a merece uma 'lição,' mas sem antes pensar se eles mesmos tem respaldo moral para dar lições em alguém. 

Você tem sim, a vida inteira pela frente para corrigir seus erros; mas ... você sabe até quando é 'para sempre?' No próximo natal, a sua mesa poderá estar ainda mais vazia. Pode ser que aquela pessoa não esteja mais lá, ou que você não esteja mais lá. Lembre-se: se você odeia e despreza as pessoas de sua própria família, não tem nenhum direito de celebrar o natal. Vá dormir mais cedo.



3 comentários:

  1. Muito bom, muito bom mesmo, Ana! Parabéns muitas vezes, garota. Fique bem e receba o meu abraço.

    ResponderExcluir
  2. Este texto é maravilhoso, gostei muito ,vou até mostrar para minha filha para que ela posso se regojizar destas palavras !parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Sempre achamos que o último Natal é só possível e lógico aos mais velhos. Ledo engano...

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...