sábado, 15 de dezembro de 2012

O Último Natal












O ÚLTIMO NATAL




Para muitos de nós, este será o último natal. Aposto que ninguém aprecia esta ideia, mas é a mais pura verdade. Quais de nós estaremos aqui, no ano que vem? Este é um mistério, uma pergunta sem resposta. E cada vez mais, vão sobrando lugares à mesa no dia 25 de dezembro. 


Se você tem toda a sua família à volta da mesa, sinta-se feliz e agradecido! Aproveite bem cada momento, e na noite de natal, olhe bem para cada rosto, desfrute cada sorriso, valorize cada momento. Um dia, tudo será diferente. A vida é movimento constante, e algumas vezes, nos vemos à mercê destes movimentos, como barcos sem remos e sem leme. 

Sempre achei e morrerei achando que, as pessoas que deveriam ser mais consideradas por todos nós, são as da nossa família, e mesmo que a convivência seja difícil, sempre será possível quando soubermos respeitar o jeito de ser de cada um, seu direito de ter opiniões, seu espaço. Saber conviver é uma arte, e impormos a nossa vontade sobre os outros, esperando que pensem como nós ou que acatem sempre os nossos pontos de vista, só pode causar discórdia e afastamento. E mesmo quando há divergências, que saibamos expressá-las com educação, tolerância e respeito, de maneira privada, sem expor o outro ao ridículo. 


Neste natal, olhe bem para quem está à mesa com você, pensando no caminho que percorreram juntos até este momento. Pense bem em quem realmente é importante e tem feito diferença em sua vida. Reflita bem se vale a pena estragar tudo devido a rancores embutidos e rançosos, cultivados à revelia do outro ao longo dos anos, vinganças, ciúmes e invejas. Perceba que partilhar com o outro as suas alegrias, e alegrar-se sinceramente pelo sucesso do outro, respeitando o seu pequeno momento de brilhar, é sinal de elevação espiritual. 

Daqui a pouco, não estaremos mais fazendo parte desta mesa. Qualquer natal poderá ser o último. Valorize os que ainda lhe restam, pois eles jamais retornarão. 

Aprenda a amar sua mãe e seu pai pelo que eles são, relevando seus defeitos e aprendendo a ser tolerante e respeitoso. Aquele que não tem respeito e carinho por seus pais, jamais será capaz de amar ninguém de verdade. Quando pensar nos erros que eles cometeram com você, pense também nos erros que você cometeu contra eles, e verá que foram muito maiores! 

Entenda que os seus irmãos foram colocados em seu caminho por algum motivo; então, jamais dê preferência a estranhos do que a eles, pois os estranhos vão e vem, e na verdade, você nada sabe sobre eles. Alguns apenas se aproximam de você com a intenção de usar o que você tem, e quando o jogo de interesses termina, eles vão embora. 

O maior erro que os seres humanos cometem em relação uns aos outros, é o de pensar que podem ofender, humilhar, falar mal e criticar, e que terão a vida inteira para consertar tudo depois. Pensam: "Ele/a merece uma 'lição,' mas sem antes pensar se eles mesmos tem respaldo moral para dar lições em alguém. 

Você tem sim, a vida inteira pela frente para corrigir seus erros; mas ... você sabe até quando é 'para sempre?' No próximo natal, a sua mesa poderá estar ainda mais vazia. Pode ser que aquela pessoa não esteja mais lá, ou que você não esteja mais lá. Lembre-se: se você odeia e despreza as pessoas de sua própria família, não tem nenhum direito de celebrar o natal. Vá dormir mais cedo.



3 comentários:

  1. Muito bom, muito bom mesmo, Ana! Parabéns muitas vezes, garota. Fique bem e receba o meu abraço.

    ResponderExcluir
  2. Este texto é maravilhoso, gostei muito ,vou até mostrar para minha filha para que ela posso se regojizar destas palavras !parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Sempre achamos que o último Natal é só possível e lógico aos mais velhos. Ledo engano...

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...