sábado, 15 de dezembro de 2012

A Lágrima Tríplice







A cada lágrima, seu lenço.
Mas há uma que pende
E engorda, e cai,
E volta a formar-se
Sem descanso.

Lágrima tríplice,
Aquela que nasce
Não nos olhos,
Mas nos glóbulos,
Decanta-se do vermelho
E torna-se puro cristal
Que nunca, nunca
Pára de formar-se
Na fonte dos olhos.

2 comentários:

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Metáfora

Às vezes, há ainda uma  corrente Muito fina e cristalina Que quer correr para o mar, Ainda há um par de pernas Que...