Estranha Asa




Estranha asa de borboleta,
Desprendeu-se do corpo,
Caiu no vazio
De um longo sono...

Estranha asa, leve e nacarada,
Sob pálpebras fechadas
Sem destino, sem sonho...

Estranha asa, que não voa
Por aqui,
Voa além, algures,
Nos céus que não vi,

Estranha asa
Esqueceu-se do pouso,
E paira, dormente,
Num imenso léu
Insosso...

Estranha asa, 
Caída num canto,
A espera de um vento
Que a erga de novo

E que a leve,
Num infinito despertar
Por dentro
De um infinito sono...

*

Comentários

  1. Obrigada por todas as vezes que carinhosamente esteve em meu blog neste ano, espero que possamos continuar juntas nesse mundo de poesia e amizade no ano de 2013 também...

    Feliz Ano Novo.

    Beijos

    Ani

    ResponderExcluir
  2. Lindo seu poema.....gostei. Bjks da amiga M.Thereza/Thê e um Feliz Ano Novo.

    ResponderExcluir
  3. Estimada Ana,

    Eu desejo que todos sejam abençoados por Deus.
    Sendo 2013 um ano iluminado.
    Novas oportunidades, novos amigos e reencontros.
    Saúde, paz, amor e alegria.

    Vamos ser um meio para ajudar uns aos outros, usando o poder das palavras.

    Permanecendo unidos nesta comunidade incrível do mundo moderno.

    Bênçãos.

    ResponderExcluir
  4. Zoologia de uma asa
    partida
    quebrada
    perdida por aí
    mas voa num belo
    poema
    numa metamorfose
    de papel
    numa metáfora
    que é minha vida
    quando perdi
    minha asa
    e abandonei o céu

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir
  5. Esse é um despertar diferente que sequer pode ser feito com o vento. Bjs.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

Sentidos

VIDA