DEMORA





Driblo a madrugada
Com saudades do dia
Através das palavras,
Das frases que deito
Tentando arrancar poesia
Do sofrimento.

Pela janela, lá no céu,
Há uma estranha estrela
Que, desesperadamente, 
Brilha.

Irônica beleza.

A brisa fresca
Faz dançar a copa
Da mangueira,
E me faz pensar
No quanto tudo é breve,
Mas demora...

Comentários

  1. Linda, profunda e bem reflexiva!!Gostei!beijos,ótimo fds!chica

    ResponderExcluir
  2. O sofrimento sempre parece demorar a ir embora, enquanto a alegria se mostra, visivelmente, breve. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Lindíssimo!

    E verdadeiro... só depende do ponto que se observa. Tanto é breve como demora...

    bjos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos