sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Algo a Mais








Deve haver algo a mais
Sob essa superfície,
Sob a face da esfinge,
Arremedos de rostos
Crias fracas e rasas
De uma mãe sem colostro.

Pois se há uma essência
De onde fomos gerados,
Sei que existe decência,
Sentimento, inocência,
Sob o rosto partido.

Pode ser só carência...

Deve haver algo mais
Dentro do coração
Que palpita contrito,
De tanto desamor!
Há de haver uma alma
Sob o pano encardido
Que oculta o sentido...

Talvez seja só dor...

Deve haver um sorriso
Sob a lápide dura
Onde jazem, doridos,
Tantos anos de fúria,
Deve haver carne e sangue
Sob cada armadura...

Onde, a nossa lisura?...


*

2 comentários:

  1. Sim deve haver Ana este algo a mais, que as vezes nos intriga outras nos fascina.Beleza de criação.Suas fotos são fantasticas.
    Um lindo fim de semana amiga.
    Carinhoso abraço de paz e luz.

    ResponderExcluir
  2. o que acho bonito na dúvida
    é que ela gera belos versos
    assim
    gera também um filosofar
    um buscar
    um poemar
    mui belo poeta!

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...