Quando Chovia





Quando chovia,
Ela recolhia o carmim das pétalas,
Fechava-se toda, e recebia
As gotas frias e pesadas, sem refregas...

Amava as nuvens escuras e as águas,
Abençoava o vento que soprava,
E assim, recolhida, ela pensava,
E pensava...

Seu caule longo se cobria
Da maciez aveludada dos musgos,
E ela claramente se via
Nas poças d'água que a cercavam.

Quando chovia, ela nutria
Seu coração seco de mágoas,
E ele se abria,
Recebia as águas
E amolecendo, aprendia...

E quando o sol voltava,
Ah, ela se abria numa entrega
À luz, às cores, à vida, ao dia,
Depois, cobria-se das estrelas
Que à noite, eram deixadas
Aos seus pés
De flor re-desabrochada. 



Comentários

  1. Lindo, Ana. Sua escrita me encanta a cada dia mais.

    ResponderExcluir
  2. Ana, amei ler esse poema, amo também escrever inspirada nas lindas flores, na natureza bela, a chuva que nos traz vida, tudo enfim é para nos fazer ser feliz!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde ,Ana!
    Admiro muito teu trabalho,não tenho visitado muito os blogs,ando meia ausente,mas
    quero abraça-la ,esse poema é lindo.
    Adoro quando vais no sonhos e amores...o blog é pouco visitado. Um beijo carinhoso
    veraportella

    ResponderExcluir
  4. Nas entrelinhas está sua harmonia com o que é belo!!!
    Muito lindo,
    Bjs
    Nicinha

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde,
    gostei tanto do poema, adoro a chuva com as flores.
    beijinhos
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Lindo ... queria estar lendo este poema com uma chuvinha batendo aqui na janela ... mas qual o que? Só um calor infernal por aqui ... hummmmmmmm

    ... voltei das férias e amanhã posto ...

    beijão ... saudades ...

    ResponderExcluir
  7. Ana, como é linda a sua expressão da contemplação do singelo, amo sua forma de olhar para a vida.
    Um olhar poético que a todos fascina. Amo passar por aqui, abraços carinhosos Maria Teresa

    ResponderExcluir
  8. Lindos versos, Ana! Se fizermos uma analogia nos encontraremos, algumas vezes, nesse re-desabrochar. O das flores é visível e mágico, como captou. Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Olá Ana,

    Poema maravilhoso!
    Você versa divinamente e com grande sensibilidade.
    Linda a flor da imagem. Minha cor preferida para flores.

    Gostei de revê-la em meu recanto. Você anda sumida. Cheguei até a comentar com a mana neste final de semana.
    'Tudibom'.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Olá amiga!
    Vim agradecer sua visita tão carinhosa e lhe desejar uma ótima abençoada tarde de domingo.
    Bjuss

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos