segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Para Abrir Teu Coração





Tal qual um passarinho
Que não deixa de cantar,
Virei à tua janela
Todas as manhãs, bem cedo,
Até que tu me escutes,
Até o teu despertar.

Pousarei no galho do cedro
Bem próximo ao peitoril;
Te trarei, em minhas asas,
Todas as cores de abril
Como o poeta na canção,
Até que teu coração se abra.

Trarei as gotas de chuva
Penduradas em meu bico,
Pra matar a tua sede
Só porque eu não te esqueço,
Só porque és meu amigo.

E mesmo que não despertes,
E mesmo que tu não ouças,
Voltarei a cada manhã
Faça chuva ou faça sol,
Cantarei o dia todo,
Em ré, mi, fa, la, si e sol...

Ah, dó!...




9 comentários:

  1. Ana, que lindo, meu coração já estava aberto, agora está totalmente escancarado para a Vida!
    Amei ler minha linda amiga!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Ah, o blogue está lindo, sempre mudando, isso é bom, beijos de novo!

    ResponderExcluir
  3. Absolutamente maravilhosoooos, os seus versos, Ana...amei a imagem...
    Feliz 2014 amiga, beijo
    Valéria

    ResponderExcluir
  4. Ana Bailune, é assim que deve ser o poeta, ser insistente e persistente, até que seja muito ouvido. Amei o poema.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ana vc poetou divinamente a escala musical, além de nos encantar com teu lirismo que é ÚNICO! Lindo demais.

    bj

    ResponderExcluir
  6. Belo poema, adorei a singeleza, carinho e sutileza,bravo!!!

    ResponderExcluir
  7. Doce como você este seu poema , Ana . Parabéns ! Beijos

    ResponderExcluir
  8. Lindo Ana, amo seu canto e seus versos, abraços carinhosos Maria Teresa

    ResponderExcluir
  9. Nossa! Que amor de poema!!!
    Adorei!

    Feliz 2014, minha querida!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...