MOMENTO RELAX




Momento Relax

O jardineiro acaba de sair, deixando no ar aquele cheiro maravilhoso de grama cortada e terra revolvida. O dia foi lindo; o céu totalmente azul, e apesar do calor e do sol brilhante, uma brisa refrescante soprava.

Final de tarde; passarinhos indo dormir. Na mata em frente à casa, as cigarras se despendem de mais um dia de calor e sol, elevando seu canto cada vez mais alto, numa interação fremente que a muitos perturba, mas a mim, agrada completamente. Pouco a pouco, o canto vai silenciando, até que reste apenas uma cigarra, cuja voz vai fraquejando aos poucos, até silenciar por completo. Daí, começam os grilos, timidamente, com seus cri-cris estrelados sob as moitas.

Surge uma pequena estrela, e mais outra, e mais outra... de repente, o céu, que ainda guarda um tom avermelhado junto ao horizonte, torna-se um alegre forro azul-marinho com pequenas luzes pisca-pisca. 

Olho os canteiros, e percebo no rosto das flores um certo cansaço. Pego a mangueira, e regulando-lhe a ponta para que ela produza um chuveirinho, vou regando os canteiros. Passam algumas corujas, vaga-lumes, morcegos. Criaturinhas que preferem a noite.

O cheiro de terra molhada se eleva, misturando-se ao perfume dos incensos que queimam em minha varanda. Penso em minha mãe, e em seu velho cliché: "Quando molhamos as plantas, elas agradecem! Olha só para a flor, como parece estar mais 'durinha' e viçosa!"

E as flores, durinhas e viçosas, murmuram um agradecimento que chega aos meus ouvidos através de uma brisa.




PS: Não tenho visitado outros blogs porque minha conexão está pior do que péssima. Levei quase a manhã toda para conseguir fazer este post. Mas eu volto. Obrigada.

Comentários

  1. Aninha, achei tão bonitinho seu aviso sobre internet, parabéns! Isso chama-se respeito por seus leitores e o caminho é esse mesmo.
    Amei seu texto, em breve estarei fazendo postagens de textos de meus seguirodres de inicio aviso que vocè já está na minha lista de divulgação, são belos seus escritos todos devem ler e saber o quanto você é profissional.
    Fraterno abraço

    Nicinha

    ResponderExcluir
  2. Ana Bailune, o retrato que traçaste me trouxe uma certas nostalgia de outos tempos. Destes uma ideia do que é o do que é um fim de dia de trabalho, cuidando de plantas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Nossa... Fui longe com seu momento relax... Ótimo texto. Ótima descrição . Ótima poção que fizestes de teus sentimentos e sensações. Já estava com saudades de seus devaneios, querida Ana.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Que beleza , Ana . Descrever a natureza com seu olhar tão sensível e escrita perfeita é deslumbrante . Obrigada . Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ana, você me proporcionou um momento realmete relax. Li este post antes de começar meu dia de trabalho, e tenho certeza de que ele hoje será bem mais leve. Abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos