segunda-feira, 28 de abril de 2014

VELUDO










Cresce um musgo verde

Macio e aveludado

Sobre tudo,

Sobre o muro,

Sobre as almas

Entre as palmas

E as palavras.




Suave ao toque,

Nem se percebe que ele é morte.

Mais parece um caminho

Enfeitado

Verdejante de vida.




Mas as borboletas não se enganam,

E flanam

Bem longe dali.




O musgo cresce sobre tudo,

Envolve o mundo,

Cobre de umidade a verdade,

Lastra sobre as bocas

E as cidades.




Disfarça em seu veludo

O absurdo e a falácia

E o quanto pode parecerer linda

A iniquidade!




E o musgo cresce sobre os caules

E os troncos das árvores,

Sufoca e mata

Até que não haja mais folhas e flores,

Até que não haja mais nada.




(Mesmo assim, é verde a paisagem)






4 comentários:

  1. "Mesmo assim, é verde a paisagem", lindo demais, bem assim, a ilusão é igual o musgo!
    Amiga, que lindo o novo visual do blogue, aqui sempre há algo novo, nos encanta sempre!
    Amei ler esse lindo poema!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Coisas que muitas vezes nossos olhos ficam presos á beleza pois a emoção é infinita no olhar.Vidas que se apagam sob o verde e outras que se desenvolvem. A natureza tem um pincel mágico e nós os espectadores desta
    Um abração Ana

    ResponderExcluir
  3. Espetacular sua poesia! Calou fundo,Ana! Linda! bjs,

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana, coisa que ninguém percebe e é verde ... lindo e profundo. Abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

IDADE

UMA BRINCADEIRA - MAS UMA BRINCADEIRA SÉRIA! IDADE A idade  tocou-me no ombro,  Perguntando: “Quem é você?” ...