segunda-feira, 21 de abril de 2014

Almoço Experimental




O bacalhau não deixou-me dormir na noite de sábado para domingo. De vez em quando, acordava tendo-o em meus pensamentos, nadando para lá e para cá nas minhas imagens - que à noite, são sempre mais intensas. No dia seguinte, logo de manhãzinha, teria como tarefa preparar uma bacalhoada para a família, que viria almoçar no domingo de páscoa. Nunca havia feito este prato.

Bem, mas tinha a macarronada da Josie - uma de minhas convidadas - que poderia "salvar a pátria" caso algo desse errado. Detalhe: para ela,
aquela macarronada também seria experimental.

Acordei bem cedo na manhã de domingo, e após reunir todos os ingredientes, comecei a preparar a misteriosa bacalhoada; já tinha imprimido várias receitas pela internet, mas acabei optando pela mais tradicional, as camadas de bacalhau, pimentão, azeitona, batata, tomates e bastante azeite. E fiz uma panela imensa de arroz branco. Calculei mal a quantidade, e quando vi, o arroz transbordava panela afora... até parece que não passei quase trinta anos de minha vida preparando almoços e jantares! Mas não estou acostumada a cozinhar para tanta gente.

Bem, lá pelas dez da manhã, ficou tudo pronto, e achei que tinha acordado cedo demais... daí, preparei uma salada para servir de entrada. E por que não, um bolo de carne? Afinal, meu sobrinho não gosta de bacalhau. Mas ainda sobrou muito tempo, e fiz uma salada de frutas para a sobremesa: "Vai que a sobremesa experimental de chocolate de minha irmã não dê certo..." Para arrematar, acabei cozinhando também uma panela de feijão para a complementar o almoço do meu sobrinho (o feijão ficou lá, intocado, pois quem é que come feijão no almoço de páscoa?). 

Resultado: deu tudo certo! O bacalhau ficou muito bom, e todo mundo comeu e repetiu (menos o meu sobrinho, que ficou com o bolo de carne, que todo mundo adorou). O macarrão experimental da Josie também fez o maior sucesso, e a sobremesa de chocolate da minha irmã foi a chave de ouro. Todo mundo comeu de tudo. Uma tarde de orgia gastronômica e pratos que não combinavam entre si, mas que agradavam a todos os gostos. Minha sala de almoço parecia um bufê de restaurante à quilo.

Sobrou o pote inteiro de salada de frutas. Quem come salada de frutas quando se tem sorvete e uma sobremesa cremosa de chocolate? Ai, ai... a salada de frutas vai virar uma vitamina hoje. 

A Josie ainda levou macarrão de volta para casa, e minha irmã Dal, um pote de arroz cheinho. Afinal, aqui em casa só tem duas pessoas, e o que faríamos com aquela comida toda? Mas o que importa, é que todo mundo se divertiu, e a Páscoa foi muito boa. Agora, é caminhar e fechar a boca para não recuperar os quilos que arduamente perdi...




6 comentários:

  1. rsssssss...è sempre assim,acaba dando tudo certo, sobra de montão! Ainda bem reaproveitamos! beijos,linda semana! chica

    ResponderExcluir
  2. Minha linda amiga, gostei muito de saber que tudo correu muito bem e do jeito planejado!
    Aqui em casa fizemos o trivial, linda salada, carne de boi assada com batatas, macarronada e a sobremesa, ovos, ai, muitos ovos de chocolates,rsrs, pois a bacalhoada e os bolinhos de bacalhau foram feitos na sexta-feira!
    O importante de tudo ficou mesmo pelo fato de reunir as pessoas que amamos não é mesmo?
    Abraços e tenhas uma linda semana!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana
    Adorei sua história, bem descontraída, como sempre vc escreve! Fiquei com água na boca de vontade de comer seu bacalhau kkk.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana, que delícia, você tem um lado cômico lindo, imagino você com tudo pronto e ainda fazer feijão? Faz tempo que não como bacalhau, deu até vontade !!!!
    Que conto lindo de Páscoa, amei ... abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  5. Ana, sou uma negação na cozinha e nem arrisco. Aí, deu tudo certo (rss). Quando vem alguém em casa, compro pronto e sempre sobra. Como moro sozinha, faço com que levem tudo, para não estragar. Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Há Flores Espirituais em Mim

Uma participação dedicada à amiga Rosélia, pelo oitavo aniversário de seu blog: Sinto que há flores espirituais em mim ...