quinta-feira, 17 de abril de 2014

Pérolas e Pedras




Das pérolas, faço um colar,
E das pedras, um caminho.
Jogo o que sobra no ar
Aos porcos e aos passarinhos.

E é com a mesma alegria
E com o mesmo prazer,
Pois a voz da poesia
É de quem a escolher.



11 comentários:

  1. Alegria da poesia respirada em todos os lugares/por todos os ares/por delirantes talagares/quem faz sobras arrebenta as contas de seus colares/escolhe dar pérolas aos porcos/escolhe recortes e viver de colagens/a poesia é jogada no caminho/aquele que perambula a acolhe/eis que o homem deixa de ser homem e vira pássaro/o prazer da poesia pode dar voz até mesmo às pedras/e as pedras se encontram nesta terra…

    ResponderExcluir
  2. Muito linda poesia!Ana! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Levando a vida levinha assim a gente fica mais feliz.

    bjokas com carinho =)

    ResponderExcluir
  4. amo as pedras pois foram elas q me tornaram um SER e um SER melhor ...

    ResponderExcluir
  5. Vir aqui é certeza de ler lindas poesias ou serão belas pérolas...
    Feliz Páscoa Ana, beijo
    Valéria

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde , tenha uma feliz páscoa em cristo cheio de
    alegrias e muita paz.
    beijinhos
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Amiga posso pedir-lhe uma coisa? Gostava de ter um poema
    seu no meu blogue http://sinfoniaesol.wordpress.com
    obviamente com os devidos créditos. Basta me deixar um
    comentário a dizer se permite.
    Dsejo-lhe uma Feliz e Santa Páscoa.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  8. Ana tua inspiração foi linda, profunda e sábia, muito a se ler nas entrelinhas, por isto que gosto tanto de teus escritos, oxalá eu houvesse mais tempo, muita Paz e luz em tua Páscoa, beijos

    ResponderExcluir
  9. Lindo, lindo, que seja sempre abençoada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...