sexta-feira, 25 de abril de 2014

CAMINHAR

Imagens: ruas por onde caminho

Bem cedo ainda; a manhã ainda tenta desvencilhar-se dos dedos brancos e macios da neblina. Saio para caminhar pelas ruas silenciosas do meu bairro, as casas ainda fechadas, até chegar à Avenida Barão do Rio Branco - uma belíssima via petropolitana, ornada de árvores centenárias (algumas paineiras, quaresmeiras e ipês ainda coloridos pelo amarelo, roxo e rosa de suas flores), que liga o centro à Itaipava, Correas e outros bairros.

Passam poucos carros neste feriado. Vou caminhando, caminhando, e de repente, sinto que estou mais leve, os passos avançando mais macios, tendo seu impacto devolvido pelas solas dos tênis. Passarinhos e raios de sol brincam entre os galhos das árvores. Alguns madrugadores passam por mim, e trocamos "Bons dias." 

Do outro lado da pista - que é separada da pista onde caminho por um rio - passa um rapaz correndo. Ele não me vê. Está sem camisa, e traz um sorriso leve no rosto. Ao olhar para ele, penso: "Saúde, juventude, alegria!" Percebo que, como eu, ele está totalmente imerso naquela caminhada, naquele momento. Sua pele branca mistura-se aos últimos traços de neblina. Parece etéreo.

Aos poucos, vou deixando este mundo. É engraçado... parece que caminho entre dimensões. Num instante, estou completamente isolada, só, suspensa e inacessível a qualquer coisa desagradável: memórias tristes, maus pensamentos, problemas corriqueiros do dia a dia, cansaço. A caminhada flui como as águas de um rio manso.


No forro dos meus pensamentos, de repente surge-me um antigo mantra, que eu costumava recitar em minha juventude: "Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare. Hare Rama, Rare Rama, Rama Rama, Hare Hare." E ele começa a elevar-se, dominando a minha mente, enquanto os outros pensamentos vão ficando pequeninos... reparo apenas nas árvores e nas gotas de chuva que ainda estão penduradas nas folhas como pequenos diamantes, e nos raios de sol que quaram a neblina já quase totalmente dissipada pelo frescor da manhã. 

Quando dou por mim, estou no final da Avenida Barão do Rio Branco, e começo a fazer o caminho de volta, desta vez, caminhando mais rápido. Acho que são cerca de dez quilômetros, no total de minha caminhada, ida e volta. Encontro com outras pessoas - alguns vizinhos - que estão começando agora a mesma jornada. Mais "Bons dias" e acenos. Eu adoro isso!

Percebi que estou mais leve, tanto física quanto emocionalmente. Fisicamente, deixei para trás nessas caminhadas quase sete quilos em dois meses. Emocionalmente, tive ótimas ideias para preparação de minhas aulas, cuidados com minha casa, reflexões sobre vários assuntos e material para escrever meus textos.

Às vezes, quando tem feirinha, eu paro para comprar legumes e flores. Noutras vezes, passo na padaria ou no mercado para comprar alguma coisa que a casa precisa.

O sol agora está alto. Uma sexta-feira Santa ensolarada. Talvez Ele esteja querendo dizer que já é hora de deixar a tristeza para trás, celebrar mais a vida, esquecer o que foi pesado. Talvez Ele queira, finalmente, descer da cruz na qual o pregaram para dizer que está vivo, e que não há mais motivos para lamentar o que ocorreu há tantos e tantos anos. Mas os homens não esquecem, e não perdoam. 

Quem sabe Judas Iscariotes e Jesus estejam hoje sentados juntos à mesma mesa, tendo longas conversas?


11 comentários:

  1. sou um amante de caminhadas, principalmente as solitárias ... por caminhos inebriantes assim, melhor ainda ...

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Ana

    Caminhar é uma terapia, já fiz bastante e preciso voltar, me sentia leve e mais feliz.
    Tão bom...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Linda amiga Ana, adorei ler aqui, me identifiquei com tudo, embora eu caminhe em uma pista linda e arborizada, com pássaros que teimam em não deixar os pobres coitados dos paulistanos de lado, nos dá a alegria de os ouvir, mesmo em meio a poluição e as avenidas muito movimentadas dos lados, (duas vias), que fazer? Nada, é assim minha Capital, que amo muito apesar de tudo!
    Amiga, meu filho foi morar com a família lá em Manaus, (ele é funcionário concursado da Petrobras), está adorando viver por lá, faz 6 meses, estou de passagens compradas para os visitar em junho, nem vejo a hora, irei poder caminhar por lá, assim como você, junto a linda natureza!
    Amei muito ler aqui, nossa, sua cidade é linda, quando puderes poste mais textos assim!
    Abraços e tenhas um lindo fim de semana!

    ResponderExcluir
  4. E eu que tanto preciso de fazer caminhadas assim por causa do coração e, com o tempo horrível de frio e chuva que tem estado, não me atrevo...
    Adorei o teu texto, Ana !
    Um beijo muito Amigo.

    ResponderExcluir
  5. Ana Bailune

    Bonita postagem vivencial, está muito agradável de se ler. Achei-a assim como a tivesses a contar de viva voz. Li e com agrado vi as fotos da paisagem.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ana,as caminhadas tb me inspiram muito e fazer essa travessia com vc foi delicioso! bjs,

    ResponderExcluir
  7. OI ANA!
    DEU PARA SENTIR TUA ENTREGA E INTEGRAÇÃO COM A NATUREZA E CONTIGO MESMA, ATRAVÉS DE TEU RELATO.
    MUITO BOM TEU TEXTO.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Querida amiga, eu vim agradecer a sua doce presença em meu cantinho!
    Obrigada pelo carinho de sua presença e amizade!
    Por favor, me perdoe o copia e cola, é que no momento estou muito sem tempo para deixar aquele recadinho especial.
    Hoje sou portadora de uma linda noticia.
    Eu e meu marido somos avós, Ligia a nossa netinha nasceu ontem ás 6 h.3º da manhã.
    Nasceu de 7 para 8 meses, mas com a graça de Deus ela está bem e a minha nora tmaém!
    Um maravilhoso fim de semana para você.
    Abraço amigo
    Maria Alice


    ResponderExcluir
  9. Amiga já inseri o seu poema PASSO no meu blogue
    http://sinfoniaesol.wordpress.com
    Foi muito bom ter acedido ao meu pedido. É um gosto ter
    no meu blogue o seu poema.
    Muito obrigada amiga.
    Beijinhos
    Bom fim de semana.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Irene. Muito obrigada, e sempre que desejar, esteja à vontade.

      Excluir
  10. Oi Ana, você tem uma infindável capacidade dentro de si, torna tudo tão mais lindo e faz do cotidiano, prosa e verso num segundo. O fato de caminhar, com certeza, dará mais energia para superar o que queira apagar. Que local lindo em seu entorno, boas caminhadas para os seus dias, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

A Minha Vida

Parada na esquina De pé,  Mas cansada, A bolsa jogada nos ombros Pronta para a viagem Há tempos planejada. And...