sexta-feira, 22 de agosto de 2014

O Palavrão e seu Contexto

dicionario-do-palavrao-1.jpg?w=240&h=360



O Palavrão e Seu Contexto


Todos sabemos do uso do palavrão na literatura e nas artes cênicas - Rubem Braga e Dercy Gonçalves que o digam. O palavrão está tão incorporado à comunicação e expressão que existem dicionários e tratados sobre seu emprego. O palavrão às vezes dá o tom exato a um discurso, pois quando pessoas educadas o dizem, é porque talvez este seja o único linguajar que seu interlocutor realmente compreenda.

É preciso que haja contexto para o uso do palavrão, pois aqueles que o repetem constantemente, incorporando-o habitualmente ao vocabulário, acabam por chocar seus interlocutores; mas, dito de maneira privada a quem realmente merece escutá-lo, o palavrão pode ser o resumo de muitas palavras inúteis que, não importa o quanto fossem repetidas, jamais seriam realmente escutadas. O palavrão muitas vezes serve para selar conversas com pessoas ignorantes, insistentes e extremamente vaidosas, que só compreendem este tipo de linguajar. Sem contar que um palavrão dito na hora certa alivia a tensão de quem o profere, evitando medidas mais drásticas. 

Um bom palavrão pode colocar os pingos nos 'is' , definir fronteiras e estabelecer limites. Se eu digo um palavrão a alguém que me aborrece, será após já ter tentado ignorar e responder educadamente. E nessas horas, digo-o sem o menor arrependimento e sem fazer a menor questão de parecer educada. Nunca me arrependo destes momentos. Procuro viver a minha vida de forma a não precisar arrepender-me de nada que faço ou digo; portanto, se alguma vez refiro-me a alguém utilizando palavrões, é porque a pessoa o fez por merecer. Não tenho vergonha nenhuma das poucas vezes em que utilizei palavrões em meus escritos ou em meus discursos.

O palavrão, dito no momento certo, pode colocar um ponto final a uma discussão sem sentido. Mas nem sempre isto acontece.

Na verdade, vivemos em um mundo livre no qual cada um tem o direito - garantido por lei - de expressar-se como desejar, embora a boa educação ensine que palavrões nem sempre sejam bem vistos quando ditos entre pessoas que não merecem escutá-los; mas, em contexto privado e dito a quem realmente merece, o palavrão pode ser uma maneira de 'baixar a crista' de pessoas petulantes, arrogantes, perseguidoras, maníaco-depressivas e vaidosas.

Quem jamais disse um palavrão, que atire a primeira pedra.





3 comentários:

  1. Verdade amiga Ana, todo mundo já disse em algum momento da vida algum palavrão, como dizes, no texto bem escrito e explicado, não dizer de forma vulgar a todo momento, mas poder soltar com todas as letras um palavrão para desabafar, ah, isso é a glória,rsrs!
    Abraços minha linda amiga!

    ResponderExcluir
  2. Ana Bailune
    Nem em trinta e quatro meses de tropa, destes vinte e sete, na guerra colonial, me habituei ao palavrão, em qualquer situação. Deus sabe como o meio é propício!
    Sou daqueles que acham, que havendo palavras, tão bonitas, para utilizar as menos próprias? No entanto as concebo no anedotário. Aí sim, já as empreguei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ana, se inventaram o palavrão é pra ser usado...rss...na hora da raiva, da martelada no dedão temos que dizer um em alto e bom som! Não sou contra o palavrão,desde que usado nas horas necessárias e não como linguagem habitual ! Um ótimo texto! bjs,

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

O que Tem na Sua Playlist? Uma Interação

Inspirada por um comentário de paulo Bratz a um de meus posts, que fala sobre um aparelho de som que comprei na Black Friday,...