sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Nas Noites Frias das Lembranças




Guardo pedacinhos de caminhos,
Como o pão jogado na trilha
Por João e Maria,
Para quando eu me perder
Nas noites frias das lembranças.

Ensaio uma dança mais discreta,
Guardo vestidos de festas
E uso vestidos mais simples.

E embora eu ame o viver,
Tinjo os dias com cores mais claras,
E as noites,
Com sonhos mais raros.

Sei que estas noites logo chegam,
Logo descerão sobre mim,
Sobre nós,
E nos farão recordar a vida
Em pedaços coloridos de sorrisos paralisados
Que ficaram presos nas fotografias.

Mas quero que nestas noites frias,
Estejamos, ainda, de mãos dadas,
Olhos no horizonte, almas entrelaçadas,
A esperar o novo dia 
Que sempre chega,
Após cada noite fria.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...