quinta-feira, 8 de maio de 2014

Botão de Rosa



O botão da rosa não se abriu,
Murchou, fechado em si mesmo
E a morna luz do sol, não viu...

Ah, meu Deus, triste destino
O de morrer botão de rosa,
Tendo nas pétalas fechadas
Perfumes, cores e veludos,
Promessas de olhares encantados
Sem nunca abrir-se para a vida!...




3 comentários:

  1. Tem pessoas que são como os botões, não se abrem e murcham para a vida.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana querida

    Que coisa mais linda...

    As vezes deixamos nossos sentimentos morrerem ainda como botões, sem darmos a oportunidade deles desabrocharem por medo de que virem uma linda rosa e que depois a gente não consiga controlar o poder do seu perfume...

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  3. Belas metáforas nos versos deste poema. Lindo, profundo e verdadeiro. Muita luz e paz. Beijo na alma

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...