segunda-feira, 20 de julho de 2015

VIAGEM








As mesmas canções
Distorcidas,
A raiva da vida
Manchando a paisagem...

As gotas vulcânicas,
Quentes,
Negras,
Pegajosas,
Gotas rixosas
De lavas, que escorrem
Na terra fendida.

Passou-se uma vida,
E as mesmas paisagens,
As velhas escaras,
As mesmas viagens,
Caminhos marcados,
No chão arranhados,
Pelas mesmas garras.





2 comentários:

  1. Ana, copiei este poema para publicar na 5ª Antologia da AVEC (Academia Virtual de Escritores Clandestinos), está certo?

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Preciso de um Chão

Preciso de um chão firme, Que me dê segurança Para deixar a cabeça nas nuvens Sem medo de tropeçar. Preciso de um chão ...