quinta-feira, 2 de julho de 2015

A INOCÊNCIA É UM BÔNUS







A Inocência não vê cores
Com a qual pintam-lhe as feições,
Ela não tem nãos ou senões, 
A tudo abraça, a tudo acolhe.


A inocência guarda um molhe
De chaves, só para abrir portas,
Não vê o riso torto e os dentes
Que almejam o doce de sua aorta.


A inocência é um bônus,
Não sente o bafo da ambição,
Ou o fedor do preconceito
Que tenta achincalhar seu tônus.


Ah, eu perdi minha inocência
Há um tempo longo e impreciso...
Ainda resta-me  a decência
De escolher o chão que eu piso.




8 comentários:

  1. A inocência ´é linda e que bom quando se., não mais a temos, ainda assim sabemos escolher o chão que pisamos... Beleza! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Quisera que a inocência nunca fosse perdida, mas de tanto a vida colocar situações duras a gente perde ela no caminho...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Amei
    Adoro quando me sei inocente
    E no outro já crescido a inocência é presente

    ResponderExcluir
  4. A inocência nunca deveria ser perdida, porém, quando se pode escolher o chão que se pisa, pode-se também restaurar alguns fragmentos dela.
    Lindo poema Ana!
    Beijos.

    Rivotril com Coca-Cola

    ResponderExcluir
  5. Não há como manter a inocência quando adquirimos consciência para fazer avaliações. Mas a decência, essa sim, podemos abraçar durante toda a vida. Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Uma beleza o seu poema, Ana. Parabéns.
    Um bom fim de semana.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...