sexta-feira, 31 de julho de 2015

ONDE A SAUDADE MORA...








A saudade
Mora nos retratos,
Debaixo das camas,
Dentro dos armários,
No fundo espelhado dos pratos.

Tem pés que pisam duro,
Fazendo barulho,
A saudade.

Não perdoa a noite,
E é quando ela vem
Ainda mais forte,
Invadindo os sonhos...

E pela madrugada,
Antes que alguém dê conta,
Desce ruidosamente
Se senta na poltrona,
Aguarda-nos na sala.




5 comentários:

  1. Verdade minha amiga, seus versos poéticos nos dá essa dimensão, a saudade é "matadeira" como diz o poeta, não há como escapar, não há!
    Abraços apertados linda amiga Ana!

    ResponderExcluir
  2. Prefiro falar do luar de ontem, que estava deslumbrante...
    Feliz e abençoado final de semana
    Abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  3. Que saudade gostosa Ana.
    Voce a vestiu tão bem que ela parece não doer.
    Ficou linda a construção.
    Lindo fim de semana amiga.
    Carinhoso abraço de toda paz.

    ResponderExcluir
  4. Ana Bailune, a saudade ninguém a sabe falar dela tão bem, tão a propósito, como os poetas. Aqui está feita a demonstração.
    beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...