terça-feira, 26 de janeiro de 2016

No Rosto da Flor







Todo o céu,
Beijos de vento,
Pegadas de joaninhas...

Raios de sol,
Grãos de terra,
Pólen, pólen, pólen...

O bem-me-quer,
O mal-me-quer,
A chuva despencada...

Lágrima caída,
Distraidamente,
De um par de olhos tristes...

Tudo ali, murchando,
Secando, caindo, sumindo,
Junto com o rosto da flor...

Sementes soltas no vento.





Convido-os a visitar e seguir:




Novo blog, todo em inglês.

6 comentários:

  1. ...sementes soltas no vento sempre resultam em algum cantinho florido! ;)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Lindo olhar no rosto da flor.
    Bonita inspiração sensível da natureza em suas mutações nos ensinando a arte de sobreviver.
    Meu terno abraço Ana.
    vou lá ver o conto da mocinha.

    ResponderExcluir
  3. Tudo junto vai tornar-se um novo jardim florido.
    Boa semana, Ana!

    ResponderExcluir
  4. Ana Bailune, gostei muito do poema, sobretudo do seu ritmo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Quanta beleza nesse olhar, Ana! Vê-se o que nem sempre é transparente para todos. Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

O que Tem na Sua Playlist? Uma Interação

Inspirada por um comentário de paulo Bratz a um de meus posts, que fala sobre um aparelho de som que comprei na Black Friday,...