LEVEZA


Imagem: Google




Andar descalça sobre a grama,
Apreciar a natureza,
As barras do vestido roçando de leve
A beleza...

Cabelos penteados pelo vento,
Que sopra segredos aos nossos ouvidos...
E de repente,
Tudo faz sentido,
Tudo está exatamente como deve:

Asa de borboleta pousada na folha,
Fiapo de nuvem na tarde azul
Passa, tocando o tempo tão breve.

Pássaro afoito no galho do cedro,
Grito cortante que sai do seu bico
Dividindo a vida ao meio:

Metade presente, metade passado,
E o riso discreto da tranquilidade
Enquanto eu sonho ao seu lado.





Comentários

  1. Olá, querida Ana
    Um poema cheio de levez que me acalma ao lê-lo...
    Bom descanso!!!
    Bjm fraternal

    ResponderExcluir
  2. O amor nos torna leves, amei Ana, muito lindo, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  3. Ana, é tão bonito, tão leve, estar apaixonada!
    A paixão passa, mas a lembrança da sensação permanece!
    Beijo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos