sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Guardados




Um dia, 
Arrancou do anel as pedrarias,
Pois feriam-lhe os olhos,
Arranhavam-lhe a alma,
E algumas, eram falsas.

Arrancou-as, mas não pôde, simplesmente,
Jogá-las no fundo de um lago:
Cravejou com elas o próprio coração
Que ficou sempre pesado.

Um dia,
Acreditou que era possível não sentir,
Não ser, não tocar, não ouvir,
Esquecer as turmalinas e esmeraldas,
Os diamantes e ametistas falsas,
As zircônias de beiradas quebradas,
As turquesas opacas...

Mas o coração, para sempre cravejado,
Batia num compasso amordaçado,
Sonhava com o dia em que as aragens
De um oceano estagnado
Enferrujariam, finalmente,
As suas engrenagens...


10 comentários:

  1. ... também ando me olhando do avesso...

    Que lindo, Ana!!!

    Um grande abraço
    e obrigada pelo teu constante carinho.

    ResponderExcluir
  2. Ana Bailune, linda cadência, a carecer de interpretação, essa poderá e parece ser mesmo de desilusão.

    ResponderExcluir
  3. Lindíssimo Ana, uma pedra rara de sua imensa coleção de poemas lapidados com toda sua arte.
    Nada mais brilha quando o amor se vai ou se ausenta.
    Adorei.
    Abraços amiga.
    Bju

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde, mensagem em poema com uma pedra que tema sair do coração, sempre adiante,
    perdida no tempo na construção de lindos poemas.
    AG

    ResponderExcluir
  5. Lindo, amei ler aqui, as "pedras" pesam, mesmos as raras e de muito valor.
    Viver sem sofrer é mesmo o que viemos fazer por aqui, deixando as ilusões de lado.
    Mas as pedras, ah, são tão lindas!!!
    Abraços linda amiga Ana!

    ResponderExcluir
  6. Andar longe, olhar distante, se vendo do avesso... Bem coisa de coração de poeta. Lindos versos, Ana.

    ResponderExcluir
  7. A amiga escreve maravilhos poemas!
    É sempre muito bom ler o que escreve.
    Desejo que a amiga se encontre bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  8. Triste, Ana, mas rico e belo. Não são jóias as pedras que passam a ferir. Bjs.

    ResponderExcluir
  9. um poema nostálgico mas belo na sua nostalgia.
    todos temos algumas pedras em nosso coraçao.
    você escreve bem poesia.
    uma boa semana.
    um beijo

    :)

    ResponderExcluir
  10. Nossa, Ana... belíssimo!
    Gostoso de ler, apesar da dor dos sentimentos.
    Parabéns!!!
    Abração e lindo dia.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...