segunda-feira, 23 de março de 2015

Num Instante






Pedaço quebrado de tempo,
O instante;
Jazendo entre a palavra,
O silêncio
E o livro na estante.

O tempo não perdoa,
Ele anda depressa,
E para quando bem quer:
Segura, entre os dedos,
O mister.

À janela,
Um pássaro bobo
Deixa um canto descuidado,
Caído,
Escorrendo sobre o reboco. 

Vem o tempo, e o silencia,
Vem o tempo e o ressuscita. 
Acende a luz da esperança
E assim, ao mesmo tempo,
Apaga as velas da vida.

O tempo não tem paciência,
Não perdoa o desperdício,
Não perdoa a nossa pressa,
Ele passa como quer,
Se encolhe, se estica,
Mas jamais fica.




12 comentários:

  1. Senhor que domina e rege a vida, cada um o sacode, o aperta, e ele...foge.
    E não há tempo! Lindo, lindíssimo poema!
    Abraço, Ana!

    ResponderExcluir
  2. Ana, a gente sabe que o tempo voa, mas nem se dá conta,
    só quando se para, em um poema, tão lindo como este,
    pode-se avaliar o que já não é seu, o que já se perdeu.
    A realidade do Instante, obrigada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana
    O tempo é o senhor absoluto de nossas vidas. Contra ele não há resistência.
    Bjux

    ResponderExcluir
  4. Olá, querida Ana
    O famoso e imperdoável tempo... que nos faz não tê-lo e, tendo-o, ainda se torna escasso...
    Versos no compasso do tempo, aproveitando-o para adocicá-lo...
    Bjm quaresmal

    ResponderExcluir
  5. Lindíssimo poetar!
    O tempo, senhor de tudo, imutável, quem sabe viver bem o aproveita, do contrário...
    Abraços linda amiga, seus poemas estão cada dia mais lindos, me atraem!

    ResponderExcluir
  6. O tempo é algo que resolve muitas coisas, a sdd diminui mas as lembranças nem sempre são esquecidas.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  7. O tempo não para, já dizia Cazuza.
    Lindo seu poema, é muito bom parar o tempo
    para termos lindas leituras.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Lindo poema e você sabe usar as palavras no tempo certo. Uma linda e abençoada semana para você.

    ResponderExcluir
  9. Ana Bailune, o poema foi construído de palavras certas, sobre o tempo. Ele é mesmo, o tempo sem tempo e para ser o grande mestre, nunca espera.
    Beijos
    .

    ResponderExcluir
  10. Ana, ele desconhece nossas necessidades e fraquezas. Você versou lindamente sobre o tempo. Bjs.

    ResponderExcluir
  11. Beleza da alma! O tempo tem de ser bem vivido ♥ beijinhos de luz querida Ana.

    ResponderExcluir
  12. Beleza da alma! O tempo tem de ser bem vivido ♥ beijinhos de luz querida Ana.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Anoitecer Suavemente...

Anoitecer devagarinho, Suavemente, Como uma teia de aranha que voa Pelo ar, Brilhando sem se notar... Anoitecer sem p...