segunda-feira, 29 de setembro de 2014

VORACIDADE




Almoçando ontem em um excelente restaurante de comida mineira, em Juiz de Fora, eu e meu marido, sentados próximos ao bufê (único lugar vago quando entramos)  observávamos o comportamento de alguns clientes. Era um destes restaurantes tipo “all-you-can-eat”, no qual as pessoas pagam um preço único e servem-se o quanto desejarem. Em uma das mesas, onde estavam sentados um casal e o filho pequeno, a moça foi ao bufê muitas vezes, e a cada vez, voltava para a mesa com pratos cheios – obviamente, eles não devem ter conseguido comer toda aquela comida! Enquanto isso, reparei em um senhor que encheu o prato quatro vezes. Seu estômago volumoso e seu rosto vermelho demonstravam o esforço que seu organismo deveria estar fazendo para digerir toda aquela comida.

Acima dos pratos, na parede do bufê, o anúncio: “Por favor, Evitem desperdício de comida!” Acredito que ninguém o tenha lido. Pensei no quanto os seres humanos são vorazes e egoístas. Da mesma maneira que serviam-se naquele bufê (pegando mais comida do que seriam capazes de comer ou do que seria aconselhável à sua própria saúde), nós, “humanos,” depredamos florestas, secamos rios, eliminamos outras espécies e disputamos vagas em empresas passando por cima de outras pessoas – sabotando-as se preciso. E há os que dizem: “É a lei da sobrevivência!”

Nos queixamos dos políticos que estão lá, eleitos por nós, depredando o povo e os recursos do país, mas quantos faríamos diferente se estivéssemos no lugar deles? Para mim, eles apenas retratam as convicções da maioria das pessoas. A ordem da vida é pegar o máximo que for possível, encher os pratos e as mãos, comer até vomitar; afinal, é preço único, e ninguém quer ser chamado de tolo... a vida deve ser aproveitada “ao máximo.”

Na volta para casa, já anoitecendo, vemos na estrada quilômetros de florestas pegando fogo, e imaginamos quantos animais e quantas plantas estavam sendo destruídos ali; certamente, através das mãos de alguém egoísta que acha bonito ver o mato pegar fogo. Enquanto isso, passamos por uma senhora que lavava a calçada com jatos de mangueira, ignorando as queimadas, a estiagem e a falta d’água.

Chegamos em casa, e ao ligar a TV, vemos um grupo de adolescentes de skate surrando um cão que tentava desesperadamente escapar de dentro da pista escorregadia.

Amanheci pessimista.

Deus errou. Deveria ter descansado bem antes do sétimo dia. Antes de criar a raça humana.


10 comentários:

  1. Oi Ana.
    É com pesar e tristeza que concordo com as palavras de seu texto.
    Por aqui em MS a realidade não é diferente.
    O SER HUMANO, o racinha.
    Fazer o que?
    Minha resposta: a nossa parte. Me sinto bem e em paz comigo mesmo. Porque querer que os demais fazem o mesmo é pouco provável que teremos bons resultados. E olha que eu não deveria estar pensando assim, pois trabalho na área da educação.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Acredito que as pessoas estão vivendo e uma forma mecânica e mesquinha.
    Eu vi no Fantástico o cachorrinho sendo espancado, e que dó.
    E ainda tem gente sem noção que ri.
    Acho que há muita gente sem noção no mundo, onde o egoísmo está correndo solto.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Olá, querida Ana
    Não acredito que Deus tenha errado pois nos deu livre arbítrio e agimos como vc disse bem: é a lei da sobrevivência (infelizmente é assim mesmo)...
    Eu não sei como as pessoas aguentam comer 1 kg no self mas já vi uma pessoa do nosso grupo turístico conseguindo... só porque estava pago no pacote o almoço... quando era para pagarmos do nosso... mudava a história...
    Agora há pouco, enquanto caminhava vi 3 adolescentes com camisa de colégio dando saltos pra areia que poderia ter resultado em quebrar o pescoço e um desafiava o outro... dando cambalhota no ar... um até retirou a camisa cheia de areia pois em todos os saltos o pescoço era atingido e se sujavam todos... fiquei com com pena da mãe... coitada, pensando que ele tava estudando...
    O tema do seu post é sério e sei do seu desabafo sincero... em busca do bem e da paz coletiva... nisso estamos as duas e muitos, 'apesar de'... (ainda creio na vitória do bem).
    Bjm florido e ótima semana

    ResponderExcluir
  4. De há muito tenho esta persepção: "Deus errou. Deveria ter descansado bem antes do sétimo dia. Antes de criar a raça humana."

    ResponderExcluir
  5. Ana Bailune, tenho assistido a vários desconchavos, com o relatas, Nó temos a faculdade de denunciar. No entanto, só o nosso exemplo frutificará. De resto estamos conversados. Fica a máxima: "eleva-te a ti, elevarás a sociedade".
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ana, atrás de quase tudo está o dinheiro. Come-se muito para compensar o que se pagou. Já ouvi pessoas fazerem essa afirmação, que me horroriza. Tenho que se come para viver e não o contrário. Nas estradas, em determinadas épocas, é difícil não observar as queimadas. Natureza destruída e risco para os motoristas que bem próximo do fogo têm que passar. Quem fere animais e ainda ri, o que será capaz de fazer com outro ser humano? Deus criou os homens com amor e para outras finalidades. São eles que se perdem pelos caminhos. Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Olá Ana,

    Compreendo seu pessimismo e indignação. O maior pecado do ser humano é a falta de educação. Entre outros, estão a falta de generosidade, de delicadeza e de amor. O egoísmo se sobrepõe e predomina a 'Lei de Gerson'. Por isso o mundo não muda, já que as mudanças teriam que partir de cada um de nós.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Olá Ana
    Depois de tudo isso, não tem como acordar otimista.
    Bjux

    ResponderExcluir
  9. Bom texto Ana. Concordo plenamente com o que escreveste e vistes. A raça humana, desde o inicio, foi e sempre será assim, pois a educação e o respeito são poucos os que sabem vivenciar. A cena estúpida daqueles ditos "adolescentes" (para mim são marginais mesmo) torturando o pobre do cão, mostra a realidade do nosso país. Se pegos forem, o que irá acontecer com eles? Cadeia? Cesta básica? Impunidades que levam o incentivo a quem tem maldades na cabeça. Infelizmente.
    Um beijo grande amiga e até!!

    ResponderExcluir
  10. Realmente Ana a gente se sente mal ao perceber que não há respeito e consideração pelo próximo, o ser humano está cada vez mais mesquinho e egoísta. Mas, eu ainda acredito nos poucos que resistem, é com essa esperança que eu acordo todos os dias, que algo nos fará mudar. Abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Metáfora

Às vezes, há ainda uma  corrente Muito fina e cristalina Que quer correr para o mar, Ainda há um par de pernas Que...