sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

OITO RAZÕES PARA ODIAR O NATAL





OITO RAZÕES PARA ODIAR O NATAL

TEXTO TRADUZIDO DA INTERNET DO ORIGINAL DE Marc Lallanilla “Eight Reasons to Hate Christmas”

Procurando na rede material natalino para meus alunos, algo que fugisse ao lugar comum e a letra da canção “Happy Christmas” de John Lennon, deparei com esta pérola de artigo em um site, escrito por Marc Lallanilla. O original é longo demais para ser usado em sala de aula, e tomei a liberdade de resumir algumas partes tentando não apagar o brilhantismo do autor.
Quem desejar conferir o texto original, basta ir atéWWW.greenliving.about.com.

Aqui estão as oito razões para se odiar o natal, segundo o autor:

1) Toneladas de lixo natalino
O EPA (Environmental Protection Agency – Agência de Proteção Ambiental) determinou que a quantidade de lixo doméstico nos Estados Unidos aumenta em mais ou menos um milhão de toneladas entre o dia de Ação de Graças e o Ano Novo, e a maioria deste lixo está relacionada às embalagens de presentes de Natal, caixas natalinas, etc... O que acontece a este milhão de toneladas extra? Ele vai para um valão a fim de apodrecer. Visto por uma perspectiva ambientalista, o natal é um desastre não-natural de proporções titânicas.

2) A Música Natalina é lixo
Quantas vezes uma pessoa inteligente consegue ouvir algo como Andy Williams (que jurou que Barak Obama é marxista) berrar “White Christmas”? Quantas vezes em um dia comum pode alguém ouvir as mesmas cansativas canções natalinas soando em cada loja de departamento, mercearia, drograria, shopping Center e loja de informática da América? Até mesmo preciosidades natalinas modernas como “Fairy Tale of New York”, de The Pogues, ou “River,” de Joni Mitchel, tornam-se velhas após 3.892 execuções. Já basta! Cancelem as canções natalinas!

3) As Compras natalinas fedem
A grotesca orgia consumista na qual o natal se transformou é absurdamente estúpida. E sob um ponto de vista econômico, o grau de endividamento causado pelo consumo que acontece entre Ação de Graças e Natal, fariam Calígula corar de vergonha. A quantidade de lixo barato feito na China, freneticamente disputada entre homens e mulheres alucinados é uma forte razão para cancelar o natal imediatamente.

4) O Natal começa cedo demais
Se comemorações fossem doenças, o Natal seria um câncer -um câncer mortal e rapidamente propagável. Ele já tomou a Ação de Graças, espalhando-se pelo Ano novo, e está se estendendo pelo Halloween também. (Na verdade, enquanto eu escrevo, é setembro, e algumas lojas já estão exibindo lixo natalino). Isto significa em média, um terço do ano devotado à perversa imitação do que costumava ser um feriado religioso. E as dívidas de cartões de crédito nas quais afundamos, é claro, duram através do verão e além! Assim, como qualquer especialista em câncer irá dizer-lhe, temos que remover cirurgicamente o tumor crescente do natal, e usar quimioterapia pesada para evitar que as células do câncer natalino se espalhem.

5) Natal X saúde mental
É amplamento aceita a ideia de que os níveis de depressão e suicídio aumentam durante o período de festas. Não é de se espantar: uma tsunami esmagadora de alegria forçada, obrigações familiares e sociais, planos de viagem, altos níveis de endividamento – é um pequeno milagre que mais pessoas não pulem da ponte durante as assim chamadas “Festas de fim de ano.” Sejamos honestos: o natal não é mais um feriado: O natal é o inferno.

6) Eu odeio viagens natalinas
Faça de conta por um momento que viajar é uma experiência relaxante e agradável (Pare de rir!). Se ela fosse relaxante ou agradável, - e todos sabemos que multidões em aeroportos, tráfego nas estradas, atrasos em voos e condições climáticas miseráveis, tornam as viagens natalinas um pesadelo- o impacto ambiental é impossível de se ignorar. Já que a maioria de nossas viagens de fim de ano dependem de quantidades absurdas de combustível fóssil, o planeta seria um lugar bem melhor se todo mundo simplesmente ficasse em casa.

7) decorações natalinas bregas
Mais uma vez, é impossível ignorar o impacto ambiental – e a pura feiura – da maioria das decorações natalinas. Sabe aquelas bolas de plástico baratas que você usa para decorar sua árvore, casa, quintal, carro e escritório? Todas são feitas por pessoas desesperadamente pobres em fábricas chinesas, usando metais pesados e componentes tóxicos. Até mesmo sua árvore de natal artificial contém chumbo. E aquelas luzes natalinas piscando na escuridão (até que a casa pegue fogo) são alimentadas por uma unidade elétrica de carvão que espalha no ar gases que provocam o efeito estufa.

8) Certa vez, eu amei o Natal
Como a maioria dos cínicos, minha amargura nasceu de um amor que deu errado. Certa vez eu amei a época do natal – as luzes, os presentes, a comida, a socialização. É claro, eu tinha seis anos naquela época. Mas recentemente eu passei as festas em Montreal, Canadá, e fiquei chocado ao saber que ainda há lugares onde o Natal é um feriado calmo e religioso, focado na família. Se eu pudesse fazer apenas um desejo de natal este ano, ele não seria uma TV de tela grande ou uma viagem à Aruba; eu só quero o meu natal de volta.

Mas, a não ser que destruamos o monstro no qual o natal se transformou, temo que estejamos condenados a repeti-lo ano após ano, vida após vida, débito após débito, suicídio após suicídio.

Tenha a coragem de juntar-se a mim: cancele o natal imediatamente!


Obs: Eu gosto muito do natal, e se decidi traduzir e partilhar este texto, foi pelo simples motivo de tê-lo achado interessante e engraçado.

6 comentários:

  1. Claro que há aí no texto verdades insofismaveis...
    Mas eu AMO o NATAL de qualquer modo !
    Estou como tu, ANA, eu não prescindo do meu e do Natal dos outros !

    Um beijo de BOAS FESTAS.

    ResponderExcluir
  2. Há dois lados em tudo (rss). e podemos escolher para qual olhar. O texto é, de fato, divertido. A união da família, nessa data, é o maior presente que posso receber.
    Ana, desejo-lhe um 2014 especial, com grandes momentos de alegria e felicidade. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Faz muito tempo que o Natal perdeu o sentido pra mim. E concordo com grande parte do que está escrito no texto acima.

    ResponderExcluir
  4. Minha linda, de repente, assim de repente, senti que não sou uma sociópata anormal. Obrigada, querida, muito, muito obrigada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ana, acreditas que o dia Natal é que menos me motiva? Sou alguém sempre de cariz otimista. Esse lado eu nunca perdi, mas o dia de Natal penso muito na indigência que vem mais à tona. Ainda em Portugal, a época será mais pacata que nos Estados do Sul. Aqui há mais quem viva a passagem de ano.
    Eu incluo-me nesse estrato.
    Felizes Festas!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...