DUENDES NO TELHADO





Eis porque eu prefiro acreditar em fadas e duendes:

Abro o site jornalístico, e a primeira fotografia que vejo mostra-me Dilma, Lula, FHC, Collor e Sarney abraçadinhos, sorrindo para as câmeras, junto ao avião que os levará ao funeral de Nelson Mandela. Adequados sorrisos! Penso: "Mas eu gostava do Fernando (o Henrique)..."

Hoje cedo, durante o banho, olho para o novo vidro de xampu que comprei, e está escrito: "Shampoo restaurador. Restaura em trinta dias danos causados em três anos." Será que não existe nada que possa restaurar em quatro anos danos causados desde 1500? Ah, e a gente gosta dessas mentiras! Gostamos de comprar o remédio anunciado no Facebook, onde aparece a fotografia do 'antes' e 'depois', mostrando uma mulher gorda e infeliz que, após tomar o medicamento durante trinta dias, perde 18 quilos! "Meu deus! São seiscentos gramas por dia!" E agora ela aparece sorridente, barriga de tanquinho bronzeada, cabelo e unhas feitos, maquiagem... por que as pessoas gostam tanto de enganar a si mesmas?

Ainda no Face, vejo fotografias de pessoas conhecidas abraçadas, sorridentes, os polegares para cima, falando de amor e união quando, há alguns dias, estavam se maldizendo e querendo pegar o fígado umas das outras para servir no jantar. Não aguento tanta hipocrisia!

Deve haver alguma coisa errada comigo. Eu sei que seria muito mais  amada e respeitada se pelo menos eu conseguisse agir da mesma forma. Mas embora eu não me ache nunca melhor do que ninguém (e tenha passado anos e anos de minha vida achando-me pior que todos), eu simplesmente não posso... não consigo. Tem coisas que batem no estômago da gente e a gente não consegue digerir.

As pessoas são movidas apenas por interesses, sejam eles financeiros ou de outros tipos, e arrebanham-se em volta daqueles que eles consideram os mais fortes (não os mais verdadeiros) por puro pavor de um dia acordarem sozinhas. Engolem sapos gigantescos, que incham-lhes os estômagos e saem pela boca em forma de arrotos fedorentos, apenas para dizerem que fazem parte do grupo, que são aceitos, que estão felizes... 

Ontem alguém me disse: "Não tome partido de ninguém, porque às vezes, o mais fraco é apenas um hipócrita disfarçado." Por que eu nunca escuto?

 Bem, mas mesmo que aos quarenta e oito anos de idade, nunca é tarde para recomeçar a agir diferente, preocupar-me mais com meus próprios interesses (com os quais ninguém até hoje demonstrou qualquer preocupação), fazer as coisas que me tragam realização ( pela qual até hoje pouquíssimos demonstraram se interessar) e tratar de ser feliz. Porque quando a gente fica fazendo perguntas demais à vida, e aprende a ouvir as respostas, acaba entendendo que a única resposta para todas as nossas dúvidas transcendentais ou práticas, é uma só: divirta-se, porque no fim, ninguém sai daqui vivo.

E amar, cada vez mais, aos cachorros, gatos e passarinhos.






Comentários

  1. Adorei Ana

    Na TV e em redes sociais todo mundo é feliz kkkkk.
    Todo mundo é amigo, todo mundo é lindo.
    Por isso que não curto redes sociais,a mídia que só engana e enriquece em cima da gente.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Ana, que bela reflexão, realista, também penso assim, não acredito em nada do que ouço ou vejo, mas no que sinto, quase sempre o sentir não nos engana, percebo até através de vídeo a hipocrisia que há em tudo o que nos querem convencer!
    Imagine só, dietas milagrosas, isso não existe, mas se teima em acreditar, eu não, ou melhor, nem faço dietas, nunca fiz, não engordo muito, fico oscilando em dois quilos pra cima e dois pra baixo, resultado, não mudo nunca, peso sempre a mesma coisa.
    No Face há de tudo, as pessoas querem mostrar o que nem sempre são, concorrência talvez?!
    Quanto a não ser muito querida pela autenticidade, sinto-me assim, também acho que há algo errado comigo, ou quem sabe minha amiga, nós somos as que estão certas?!
    Amei ler aqui, abraços apertados!

    ResponderExcluir
  3. Ah, quanto a sua idade, já estou com saudade dos meus quarenta e oito anos, rs, estou com sessenta e quatro, fico pensando como vou sentir saudade dessa minha idade daqui há, quem sabe, vinte e tantos anos?!
    Mais abraços apertados!

    ResponderExcluir
  4. Relaxa e seja Ana... ( que coisa agora eu vi a coincidência de estar escutando Refrão de um Bolero...
    "Ana... seus lábios são labirintos..." e " ... eu que fui sincero assim sem pensar...") Mas vamos lá... sabe Ana... eu acredito muito no plantou colheu. Assim sendo merecemos estes governates, a mudança, ela ocorre naquilo que a gente Foca. Podemos ter uma vida rica e próspera se nossa mente se focar nisto. ;) O que fazer para curar tudo? Pra que curar tudo? A gente faz muito nossa parte sendo melhor que aquilo que criticamos. Sendo o bem. Propagando o bem.
    Sim claro que tenho meus conflitos, alguns deles, o blog vc mesma leu recentemente.
    Bom... era isto. Amei os duendes no telhado!

    Will

    ResponderExcluir
  5. Menina, não tem nada de errado com vc nem comigo ... o mundo é q anda errado ...

    ResponderExcluir
  6. Ana, enquanto balançamos a cabeça, aceitando tudo, como vaquinhas de presépio, os "do poder" nos esmagam. Não há como mudar, desde que mundo é mundo, é assim que se vive.
    A hipocrisia impera em todas as relações.
    Você é muito jovem, ainda pode gritar, a vergonha de assistir essa hipocrisia sem fim, quem sabe ainda possa alcançar alguma mudança. Solidária a você na crítica, abraços carinhosos Maria Teresa

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos