domingo, 28 de agosto de 2016

DEPOIS DA INOCÊNCIA




A inocência é como
Uma rosa de pétalas enrodilhadas,
Que protegem o centro.
Uma macia camada perfumada
Cuja cor rosada
Espalha seus tons sobre o que é visto
E sentido.

Mas um dia, após tantos atritos,
Ela murcha,
As pétalas caem uma a uma,
Expondo o centro ao vento mais frio,
E a camada cor-de-rosa se recolhe,
Se encolhe aos poucos,
Desaparece...

E de repente,
Nada mais é a mesma coisa,
Os tons que vemos são fortes demais,
Os sons que ouvimos são bruscos e rústicos,
E a pele exposta aos arranhões
Custa a curar-se,
E mesmo após a cura, 
Cobre-se de duras cicatrizes.

Não sei se é maldita ou bendita
A hora em que perdemos a inocência...
Só sei que nada, nunca mais,
Será a mesma coisa,
Pois nós nunca mais
Seremos os mesmos.





4 comentários:

  1. Adoro a forma como tratas as coisas simples, sem importância. Essa relação inexplícita com a nossa realidade me encanta. Parabéns! Bom domingo.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Ana. Viver caleja, para o nosso próprio bem, às vezes do outro tbm (quando este percebe a necessidade de alguma mudança tbm)
    Lindo labor, parabéns!

    ResponderExcluir
  3. O viver caleja realmente mas não pode nos deixar perder nossa criança eterna que temos dentro de nós.

    Beijão

    ResponderExcluir
  4. Ana, bonitos versos e reflexão contida neles...
    A inocência se vai, mas precisamos buscar a pureza da criança, dia após dia...
    Bjs e boa semana

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

MINHA MISSÃO É ESTAR AQUI

Estava lendo  uma entrevista da psicóloga e personal coach americana Laura Ciel, no qual ela fala sobre aquele momento (momen...