AMAR COM TERNURA








Amor não é fogo,
Não deve queimar.

Amor sobrevive
Do que há no luar,
Do beijo das ondas,
Das coisas que ficam,
Que o tempo protege,
Do que vale a pena
Lembrar e guardar.

Amor deveria
Ser brando, suave,
Pois fogo é lascívia
Que quebra as beiradas,
Vivência apressada
Na Lâmina fria
Que corta sem ver
A veia do amor
Fazendo morrer...

Amar com ternura,
Do jeito que dura,
Dar laços, não nós,
Saber estar juntos
E também à sós,
Ser sempre um mais um
Sem nunca ser um.

Amor não é gula,
E só sobrevive
O amor que é manso,
O amor verdadeiro,
Feito de ternura,
O amor que é livre...




No link abaixo eu interpreto uma canão de Elvis Presley, LOVE ME TENDER. Os cães latindo ao fundo fazem parte... 








Comentários

  1. Adorei essa ternura do poema, belo!
    Porém me encantei, e muito, com teu vídeo, linda voz, Ana. Parabéns!!
    beijo!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo que é essa ternura de poema de amor, pois amor é mesmo isso, ternura!
    Gostei de ouvir o vídeo, os cães também "cantaram" bem,rsrs!
    Abraços amiga Ana!

    ResponderExcluir
  3. Ana que bela partilha.
    Adoro esta musica e voce deu um show amiga.
    E viva o amor livre e com ternura.
    Meu abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos