terça-feira, 7 de outubro de 2014

INVEJA




Introdução ao poema


Muito já foi dito e escrito sobre a inveja, neste e em outros espaços, em verso e em prosa. Alguns não acreditam nela e em seus efeitos. Mesmo assim, ela continua sendo o tema de tantos escritos, exatamente como outros temas sobre deuses, demônios, santos e anjos - que embora não tenham existência comprovada, povoam as mentes de quase todas as pessoas. 

Se a inveja existe? Existe, e é um artifício humano. Uma desculpa para odiar alguém que conseguiu ser aquilo que o outro não conseguiu - ou sequer tentou ser.  A inveja é um olhar voltado para o outro, mais do que para si mesmo e seus próprios potenciais.

Quem sente inveja não acredita em si. Vive em um mundo conturbado e triste, onde nada é o suficiente. Equilibra-se em uma corda de desespero e medo o tempo todo, e lá embaixo não há rede de segurança. Leva uma vida angustiante, sempre achando que deve competir com alguém a fim de vencer na vida. Precisa provar ser o melhor o tempo todo, e eu não consigo pensar em nada mais angustiante do que isto...

O invejoso é um competidor nato. E um mau competidor, pois quando se vê diante da possibilidade de "perder", é capaz de fazer qualquer coisa para minimizar os efeitos desta perda;  esquece-se (ou talvez jamais fique sabendo) que vencer na vida é, simplesmente, sentir-se feliz com aquilo que se é; olhar em volta e ver coisas bonitas pelas quais agradecer. Encontrar o próprio caminho e segui-lo, fazendo uso de seus próprios dons e potenciais. Expressar, sinceramente, carinho e alegria pela beleza que nasce na vida do outro. É torcer para que o outro seja feliz e alcance seus sonhos, participando deste caminho sempre que for possível.

Pois eu acho que, para ser feliz, a única maneira possível é largando mão de olhar para o que existe na vida do outro, parando de compará-la com a própria vida e as próprias conquistas.








Fica um poema:




Inveja

Os olhos seguem sofregamente
A imagem branca que passa.
Cai-lhe um botão da túnica,
Rola e perde-se pelas escadas.

Mas ela passa.

Explodem cristais de sal.
Na pia, quebram-se as xícaras.
Um pássaro encontra a morte
De encontro à sua vidraça.

(Os olhos arregalados
Segredam suas desgraças).

Caem-lhes as pérolas do colar,
Entram nos buracos das calçadas,
Arrebentam-se as sandálias,
E ela segue, descalça.

Murmuram os olhos. Secam-na.
Derramam lágrimas ácidas.

Arranha o braço na aspereza
De um muro negro de tristezas.
Ela sangra. Ela passa.

Desfazem-se as bainhas das saias,
Fiapos sobre seus pés.
Mas ela segue, ela passa.

Seus planos emaranhados
Nas tranças dos seus cabelos
Não conseguem desfazer-se
Dos nós tão bem apertados.

Mas pouco a pouco, ela segue,
Desfaz, com dedos pacientes,
Cada nó que lhe foi dado.

E os maus olhos que a olham
Choram sua frustração
De não passarem assim,
Mas se agarrarem ao chão
Por onde ela sempre passa...


9 comentários:

  1. A inveja é um sentimento daquele que não acredita em suas possibilidades. Falta-lhe alto estima.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Amiga Ana, bom texto sobre o tema, os versos abaixo do lindo poema bem diz do que é esse sentimento de (dor), acredito que seja isso que os invejosos sentem, muita dor, amargura, são tantas que não conseguem disfarçar, a voz muda, também muda o olhar, muda tudo e o pior, os invejosos vão cada vez mais afundando nisso, são dignos de pena!
    Abraços minha linda amiga!

    ResponderExcluir
  3. Um poema muito belo, Ana. Entendo que o sentir despertado por versos é nosso (rss), independente do que pretendeu o escritor. Assim, nem sempre há o que comentar , pois não precisa ser interpretado.
    A inveja faz tanto mal! O invejoso não consegue se sentir feliz e ainda manda energia negativa para o outro. Pior é que ainda existem pessoas que possuem muito e invejam, no sentido real do termo, uma pequena conquista de terceiros. Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Grande e verdadeiro poema..;
    a inveja é algo que anula o amor pelo outro.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. A inveja é algo que causa danos tanto pra quem sente qdo pra quem é invejado.
    bjokas =)

    ResponderExcluir
  6. Ana Bailune, cada um pode ter a sua opinião ou versão do invejoso. O curioso é que a inveja, a maior parte das vezes recai sobre a felicidade alheia e não nos seus bens materiais. Contra as invejas nada como a fortaleza de espirito.
    Gostei das tuas intervenções.
    beijos

    ResponderExcluir
  7. O invejoso olha tanta para a vida do outro, que esquece de viver sua própria vida.
    Bjux

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

COMO MANTER A CALMA???

Eu estou na santa paz do meu lar, tentando meditar a fim de tornar-me uma pessoa melhor, quando o telefone toca. É um daqueles ...