quarta-feira, 4 de junho de 2014

Tristeza




A luz não me ilumina... escuridão!
O rosto inexpressivo e amargurado,
O olhar resvala aos poucos, sem cuidado,
Não olha mais a vida; cai ao chão...

Um louco, intimidado coração,
A voz quase sem voz - peito calado,
Colado à vida, o peso de um 'não'
Tal qual uma corrente que eu arrasto!...

Mas tudo nessa vida tem um fim,
E após o fim, um novo recomeço,
Ao que se perde ou ganha, há sempre um preço...

Espero que haja cura, que haja um bálsamo,
E um mais reto caminho, sem percalços,
Por onde siga o que restou de mim.




5 comentários:

  1. Intensa, triste e linda inspiração! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Ao termino de um ciclo, sempre há começo de outro.
    Tudo na vida é recomeço.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Boa noite, Ana. Um estado de espírito vivente na tristeza, intensa agonia de não ter as certezas, mas sabemos que tudo passa,assim como a brevidade da solidão.Haverá uma restauração, uma iniciação leve e com cheiro de orvalho.
    Nenhum mal é para sempre.
    Lindo.
    Tenha um fim de semana de paz!
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...