domingo, 8 de junho de 2014

Nada é Para Sempre




Às vezes,
As coisas permanecem,
Mas os olhares mudam.

Tu passas 
(E nem percebes)
Pelas mesmas praças,
Ruas e calçadas...

A mesma cor desbotada
Nas paredes da tua casa
Que tornou-se tão pequena
Para tuas cenas.

E nada mudou,
Nada!
Apenas o teu olhar
Que se demora e se perde
Para além dessas vidraças...

No quintal, a mesma árvore
Faz sombra sobre o telhado,
O tempo traça caminhos
Sob a pele que já pende
Sob o olhar amargurado,
Mas é dentro que se encontra
Aquilo que está passando,
Aquele que foi mudado...

É que às vezes, 
As coisas permanecem,
Mas os olhares mudam,
E se perdem
Nas ilusões do mundo.




7 comentários:

  1. o para sempre não existe ... ainda bem ... seria um tédio se assim fosse ...

    ResponderExcluir
  2. E só cresce em todos os sentidos da VIDA quem tem a plena consciência das mudanças...
    Nem os contos de fada possuem E FORAM FELIZES PARA SEMPRE...

    Um abraço, querida e linda semana.

    ResponderExcluir
  3. Os olhares mudam com o tempo...que bonito e verdadeiro! Adorei a leitura! bjs,

    ResponderExcluir
  4. Ana minha linda, é assim tudo está igual mas o olhar mudou, teu poema é belo e traz uma certa nostalgia, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  5. Lá fora, tudo igual. Aqui dentro, a transformação. Uma nova forma e olhar, carregada de lembranças, nem todas coloridas. Bjs.

    ResponderExcluir
  6. A realidade é essa, embora não pareça, a essência muda. Sempre brilhante sua interpretação da vida, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

MISTÉRIO

  Existe um jardim, e nele, uma flor Que todos procuram Embora alguns digam que ela não é. E muito se diz sobre a sua cor: Vermelha o...