sábado, 28 de junho de 2014

Na Palma da Minha Mão

Aleph - meu querido amigo que se foi aos 14 anos, em 2011 - e Latifah - minha querida amiga que se foi aos 10 anos, em 2014. Graças a Deus que foram nossos, e que pudemos cuidar deles.





Ficou um toque vazio,
A pele sentindo frio,
A palma sem aplaudir...

Ficou um sol moribundo,
Brilhando sem muita força
Sobre o que restou do mundo...

Ficaram folhas caídas
No solo da minha vida,
Fiquei aqui sem você...

Na palma da minha mão
Ficou tudo o que não há,
Sem direito a ilusão...

Ah, toque que não virá,
Ah, dor plantada no chão
De raízes tão profundas!

E essa saudade, oriunda
De tanta felicidade
Que a lembrança não retunda!...



7 comentários:

  1. Bom dia minha linda amiga Ana, pois é, essa dor sempre fica quando nos lembramos deles, como nos lembramos todos os dias, portanto todos os dias sentimos um pouco dessa dor, também tive os meus lindos amigos assim como os teus, que hoje não estão mais por aqui, saudade doída, merece poemas, poesias, são os nossos verdadeiros amigos nessa vida!
    Amei ler minha doce amiga sempre querida!
    Beijos e abraços apertados em solidariedade!

    ResponderExcluir
  2. Que carinhas mais doces e lindinhas! Poesia que emociona pois perder um cachorrinho é como perder um amigo! Bjs,

    ResponderExcluir
  3. Eles deixam um grande vazio ,eu pensava que tendo outro cachorro seria
    transferido o sentimento , mas depois de alguns anos , já com outro cachorro por aqui, nunca me esqueço do primeiro max que tivemos.
    bjs
    http://ana-bailune.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Despedirmos deles é como sentir que foi levado de nós
    um pedaço do nosso coração.

    Amigos mais doces,leais que eles não existem.

    Uma homenagem valiosa

    ResponderExcluir
  5. Ana

    Quando há dedicação, o vazio torna-se duro, da nossa poesia, (dolorosa) a deixar inspiração, quiçá harmoniosa, como aconteceu.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Sim, Ana - que bom que cuidaram deles. Tenho certeza que sempre lhes foram muito gratos, porque os animais reconhecem tudo que fazemos de bom pra eles.

    Fica a saudade, ficam as fotos, ficam os toques da tua mão, ficam o carinho da companhia e afago deles.
    Beijo amiga e fica bem!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...