sábado, 15 de março de 2014

Poesia





Entra de mansinho pela janela,
Pousa nas paredes, 
Traz consigo um canto
De passarinho.

Marca um raio de sol
Que se colore através do cristal,
Multipartido em cores...
Imprime-se, indelével,
Na face do coração.

Oculta-se, mostra-se,
Derrama-se
Em gotas de sangue,
Para logo elevar-se
No puxão de um sorriso,
Entre o branco e o negro, flutua,
Paz, amor, medo, loucura...

Na fronha, ela se deixa ficar
Até a manhã seguinte
Para conhecer melhor nossos sonhos...
Acorda-nos
No meio da noite, 
Num raio de lua que entra
E brilha sobre as pálpebras.

Espalha-se pela casa
Com o cheiro de café, 
Senta-se nas ondas das vozes,
Assiste ao filme na TV,
Fica lisa e esticada
Por sobre a roupa passada,
Varre o chão da casa
Presa que está
Aos fios da vassoura.

Olha-nos do rosto da flor,
Cai sobre nós, a folha seca,
Gota de chuva,
Beijo de brisa
Pétala
Precisa e efêmera,
Concreta e etérea,
Circula nas veias,
Faz parar o coração
Na última hora.

-E como ela chora!...

Ponte entre mundos,
Ela traz de volta quem se foi,
Faz-se estradas e caminhos percorridos
Por saudades e lembranças,
E é em seu rosto
Que nos revemos, crianças...

Poesia,
Minha melhor amiga,
Meu tudo, minha vida,
O motivo que me prende
E me solta
Neste e deste mundo.





9 comentários:

  1. Estimada tudo bem contigo? Eu só tenho que pedi ao bom Deus para sempre abençoa o seu imaginário com muita saúde para seu físico e para o espírito. Estou lhe esperando em minha simples toca.
    Leais abarcamentos de S/M.<><> MikasA>>> SukasA<><>

    ResponderExcluir
  2. Ana,sentimos ao te ler que a poesia faz mesmo parte de sua vida. Ficou maravilhosa! bjs,

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Ana !
    Te admiro muito. És uma pessoa sensível na escrita. Não sou formado em letras, nem em nada. Escrever, me liberta de presídios internos, e libera minha imaginação.

    Um grande abraço,
    Fique na paz,
    Dan.
    http://gagopoetico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Lindo, lindo, lindo, a poesia é ser, tal qual sentimos.
    Abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  5. Olá,Ana
    muito bom...penso que a poesia, sua e minha amiga, resgata a nossa percepção de mundo e torna sensível a nossa relação com os seres e as coisas. E isso somente se consegue por meio de uma desfamiliarização do olhar, como se as estivéssemos vendo pela primeira vez....
    Boa noite, vc sempre muito carinhosa comigo , muito obrigado , de coração, bela semana, beijos!

    ResponderExcluir
  6. Vossa sensibilidade faz do poema
    Alheio
    Um devaneio
    Que entra com seus versos
    Em nosso veio
    Enchendo-nos de delírio
    Pingando em nossos olhos
    Gotas de um lirismo
    Ancestral

    Do tempo em que corríamos na mata
    Com gosto de framboesas


    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...