sábado, 29 de março de 2014

Nanquim




Pintaram de negro as tuas memórias,
Encerraram-nas todas em caixas herméticas
Para que fosses esquecida.

As tuas flores,
Todas elas espalhadas pela vida,
Murcham, separadas,
Em jardins secos e mal cuidados.

Pintaram de negro as tuas obras,
Os teus sonhos são vidros de nanquim
-Nada mais resta de ti, é o fim,
Daqueles sorrisos nas fotografias.

Pois hoje, caminhas por uma estrada 
De uma só via, asfalto negro
Por onde nada volta!

O vento que sopra não traz teu perfume,
Apaga-se, aos poucos, o resto de lume
Que te animava.
As tuas feições, já quase esquecidas,
Somem das fotografias...

E os laços que ataste com todo carinho,
Desmancham-se, cortados por espinhos
Que o egoísmo fez crescer.

Pintaram de negro a tua história,
E nesse mar negro, afogam-se tuas palavras,
A voz calada, a garganta em borbulhos,
Teus olhos fechados, 

Tua vida?...

Ao menos tens o dom de ser esquecida,
A dor do viver já não te alcança...
És hoje uma longa e negra trança
Que pouco a pouco, se desmancha...






12 comentários:

  1. Lindo demais este poema. As três primeiras estrofes, arrasam... Aplausos!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Linda,

    Adorei a poema que você escolheu para postar no Desafio !

    Amei este poema também, faz nos refletir a vida, e com está no ultimo estrofe... A dor de de viver já não te alcança !

    Beijocas um lindo final de semana para você =D

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema, ..."Ao menos tens o dom de ser esquecida,..." que verdade essa, embora com muita poesia!
    Amei!!!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Aplausos. Amei. A última estrofe desmancha-se em versos de sensibilidade ímpar. Muita luz e paz. Beijo no coração.

    ResponderExcluir
  5. Intenso e belo , Ana . Obrigada pela partilha e por sua generosa visita ao meu blog . Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, Bom dia
    Ana
    ... mesmo que pensamos em tudo colorido que ficou, sobram lembranças sem valor ...E quando nos refazemos, veremos e entendemos que é , na verdade, uma história para ser esquecida...e que o tempo encarregará de desmanchar ou colorir de negro...
    sim,pelo q eu entendi,"meio prejudicada", estimo que fique bem já, okei?Deus te abençoe!
    Obrigado pelo carinho, belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
  7. Ana,poesia com teu traço forte,ficou muito linda e intensa como suas emoções! Ficaram marcas de uma vida,apesar de tudo! bjs,

    ResponderExcluir
  8. Ana, pensei ser triste, quando li. Depois, relendo, vi um outro lado. Se tudo já foi destruído, o esquecimento é consequência benéfica. Espero que logo fique bem. Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...