segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

DIMENSÃO




E de repente,
Senti-me pequena,
Mais curta que a palavra
E menor que a pena.

As margens caíram sobre mim
Ao tentar salvar-me,
As terras dissolveram-se sob meus dedos,
-Viraram arames farpados
Todos os meus enredos!

Senti-me pequena,
E me afogava, enquanto olhava
Passando no céu,
As nuvens de açucena...




11 comentários:

  1. Que lindo!! Amei

    Um fevereiro maravilhoso pra vc

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. O tamanho e a distância dependem de como os vemos e de quando os vemos.
    Lindo poema, querida Ana!
    Tenha um ótimo dia e semana!

    ResponderExcluir
  3. Ana! Que bonito!
    Descreveu delicadamente o que muitas vezes sentimos. Quem não se viu assim?!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Descreveu muito bem o que a maioria das pessoas já sentiu um dia. E nesses estágios, quando olhamos para o céu, nos diminuímos mais ainda...

    Belas palavras e lindo template de rosas para o blog.

    Abração esmagador e ótimo dia.

    ResponderExcluir
  5. Uma poesia com um conteúdo bom para se refletir.
    Beijos.
    Élys

    ResponderExcluir
  6. Queria esta debaixo deste céu onde passam as açucenas assediadas pelas borboletas multi coloridas e deixar respingar em mim este poema lindo e sensível.
    Meu carinhoso abraço Ana.

    ResponderExcluir
  7. A descansar ou na balada, não se esqueça de celebrar a vida. Bom final de semana e um ótimo carnaval.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  8. Ana Bailune, amei o poema, tem o nível a que já nos habituaste.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Gostei de ler Dimensão.
    Somos um nadinha sem o Criador!!
    Bj

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

O que Tem na Sua Playlist? Uma Interação

Inspirada por um comentário de paulo Bratz a um de meus posts, que fala sobre um aparelho de som que comprei na Black Friday,...