terça-feira, 4 de agosto de 2015

VOAR E VIVER




Lembro-me de que quando voei pela primeira vez, ao decolar, tive uma sensação de vazio por dentro, como se tivesse soltado tudo o que me segurava à terra de repente; todos os medos, apegos, raízes. Pensei, enquanto olhava pela janelinha do avião e via a terra ficando pequenininha: “Estou no ar! Estou totalmente dependurada no ar, e ninguém, a não ser as leis da física, estão me segurando! Como pode, algo tão pesado, pairando desse jeito?” 

Algumas pessoas podem dizer que é Deus quem está segurando o avião, e talvez seja mesmo; porém, se pensarmos um pouquinho, saberemos que mesmo que Deus segure o avião no ar -com a ajuda e a  habilidade dos pilotos - se houver uma falha mecânica ou humana, ele despenca. Acidentes de avião acontecem quase todos os dias, e a maioria deles é fatal para todos os ocupantes. Mas, mesmo sabendo disso, nós voamos. Despachamos nossas bagagens e entramos no avião como se fosse a coisa mais normal do mundo, e não sabemos se decolaremos e pousaremos de maneira segura. Confiamos no piloto. Confiamos na mecânica e na física. Confiamos na nossa boa estrela. 

Confiamos em Deus.

Mas os aviões caem, e às vezes, com pessoas que amamos dentro deles, ou quem sabe, conosco. 

Viver é como voar: não sabemos o que nos espera, e por isso, contamos com a fé na vida, tentando acreditar que tudo ficará bem. Vivemos e voamos, pois ficar parados, com medo do que possa acontecer, não leva a lugar nenhum. A única chance que temos de chegar a algum lugar, é nos arriscarmos a entrar no avião, e fazer planos para um futuro que não sabemos se teremos, e mesmo conscientes de que um dia tudo termina, agirmos com a  fé de quem flutua na eternidade. 



6 comentários:

  1. Amiga Ana, pois é, se pensarmos em temos de possibilidade de cair o avião em que estamos voando, não voaremos nunca, eu já voei umas dezenas de vezes, sempre com a maior calma, mesmo porque, meu filho vive nos ares, ele trabalha agora no aeroporto de Manaus e se ele voa e eu tenho de ficar tranquila, pois não há outra alternativa, sendo assim tão temo por mim!
    Acho até que é maravilhoso voar, adoro isso, ter medo não resolve né mesmo?
    Amei ler aqui minha amiga sempre querida, me ajuda muito ler sobre coisas que me interessam e que preciso estar sempre me inteirando e voar é uma das coisas que faz muito parte de minha vida!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  2. Sempre q ando de avião posso confirmar uma máxima: Não se preocupe com as nuvens pois, além delas o céu continua azul ...

    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Ana, sempre entro numa aeronave logo apos decolagem eu entro neste parafuso de como confiar tanto sem ter asas.
    Ai me vem aquela fé e Deus entra no avião e cochilo e me sinto um menino emocionado.
    Que a semana esteja bela e leve.
    Carinhoso abraço amiga.

    ResponderExcluir
  4. Voar é ter liberdade, e os pássaros sabem bem disto.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana.
    Voar e viver.
    Realmente é uma comparação estranha, mas ambas nos dão a noção de que mesmo com os riscos, vivemos e voamos. Noas atiramos na imensidão da incerteza.
    O voo é assim, a vida é assim.
    Um abraço.
    Desculpe a demora em retribuir a sua visita.
    Estou passando por turbulência de ordem mecânica.
    Paz e Luz.

    ResponderExcluir
  6. Verdade! Bela comparação!
    Também senti esse frio na barriga e pensei: agora estou nas mãos de Deus, porque se algo acontecer, não dá tempo de nada...
    E na vida seguimos voando, sem saber o que pode acontecer.
    Adorei! E belas fotos.
    Abração e lindo final de semana.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...