NEVE





Teu coração
Nevava sobre as palavras,
Tecias estradas de cetim branco
Sobre as lavas.

Teus olhos choravam riachos
Cristalinos e frescos,
Que espargiam sentidos
Sobre as margens abandonadas.

Ninguém ouvia teu lamento,
A não ser a lua branca,
A não ser  
A madrugada fria...

Na outra margem 
Alguém olhava,
Mas não via,
Não respondia,
Ficava parado 
Sem ver o barco 
Que aos poucos, afundava...

A tua angústia congelava,
A saudade era como uma trava,
De travoso gosto
Entre os lábios...
-Nada trazia,
Só levava.

Teu rosto de cera
Derretia,
Teu peito de fogo
Congelava.

E a neve caía
Em flocos de palavras...



Comentários

  1. Boa noite amiga!
    Fazendo uma visita para me atualizar com suas maravilhosas postagens e deixar um forte abraço e o desejo de que esta noite seja de paz e que o amanhecer seja abençoado e se estenda por toda semana. Gratíssima pela visita.
    Abraços da amiga Lourdes Duarte.
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/
    http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos