segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

O ANDARILHO




O teu triste espectro bateu à minha porta,
Olhos marejados, barba por fazer.
Coberto de andrajos, perdido, sem rota,
Tão só, me pedia para eu não te esquecer.

A minha memória juntou teus pedaços,
Segui os teus passos, mas não te encontrei...
Tua andas tão longe desses meus abraços...
Mas sopras vestígios do amor que eu te dei

E que desprezaste, sem dó, sem piedade,
Deixando a saudade que eu tinha, morrer...
Algumas lembranças sublimam idades,
Mas outras matamos pra sobreviver...


8 comentários:

  1. Estou retornando de um período de descanso e vim visitá-la.
    Lembranças, ficam ou vão embora, dependendo de como são alimentadas.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Tão crueis estas situações, e tão comuns tb ... conheço alguns casos assim ...

    Beijão

    Desculpe, tive problemas com a publicação deste comentário ... não ia ... coisas do Blogger, só pode.

    ResponderExcluir
  3. Muitas das atitudes que nos magoam são as
    que temos que desprezar para continuar e memórias que dão saudade também.

    beijinhos e boa semana.

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá,Boa noite, Ana ,Feliz 2015, para ti e familiares,
    Amor se perde.Em meio À dor do desprezo. É preciso querer o melhor pra si.
    Todo o resto apenas fica a tênue saudade.
    Obrigado pelo carinho, belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
  5. Linda poeta, vim aqui beber um pouco de lirismo e suavidade. Amei!
    um beijo carioca

    ResponderExcluir
  6. Perder um amor é dolorido, mas são coisas que temos que passar e em forma de poema ficou maravilhoso

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

IDADE

UMA BRINCADEIRA - MAS UMA BRINCADEIRA SÉRIA! IDADE A idade  tocou-me no ombro,  Perguntando: “Quem é você?” ...