sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Freud Explica?...




"Nenhum ser humano é capaz de esconder um segredo. Se a boca se cala, falam as pontas dos dedos." - Sigmund Freud

Todos temos segredos. Alguns permanecem conosco até a morte, mas existem alguns segredos que nem sequer sabemos que temos, e muitas vezes, passamos a vida toda sem sabê-lo. Porém, estes segredos são visíveis aos outros que conosco se relacionam, e os percebem. Estes segredos gritam verdades sobre nós através das nossas imperfeições.

Penso ser essencial tentarmos conhecer algumas delas (não acho possível conhecer a todas, pois acho que ninguém está pronto para admití-las completamente), e eu confesso que emprego boa parte de meu tempo nesta busca por mim mesma, por quem eu sou e o que me leva pelos caminhos que eu percorro. E sei também que seria bem mais difícil conhecê-las se eu não admitisse, para mim mesma, que estas imperfeições existem.

Quando apontamos os outros frequentemente a fim de justificarmos o que acontece de ruim conosco, estamos perdendo a oportunidade de aprender mais sobre nós mesmos. 

Acho muito triste ver pessoas que se julgam perfeitas, e que do alto de sua arrogância, culpam aos outros por tudo de ruim que acontece em suas vidas, legando a si mesmas apenas os méritos pelo pouco que acontece de bom.

A frase acima, do psicanalista Sigmund Freud, caiu em meu colo esta manhã, quando examinava postagens antigas do meu blog "Passagem," e deparei com esta sobre Freud e seus pensamentos. É engraçada  a maneira como a vida nos oferece as respostas que estamos buscando, fazendo com que elas apareçam na hora certa!

"Nenhum ser humano é capaz de esconder um segredo. Se a boca cala, falam as pontas dos dedos." E nesses tempos de internet, onde muitos de nós passamos parte do nosso tempo dedilhando palavras com as pontas dos nossos dedos, nem sequer percebemos que nossos segredos vão ficando pelas entrelinhas do que escrevemos! E eles podem ser realmente muito óbvios - infelizmente, mais para quem lê do que para quem escreve.

Eu percebo, às vezes, que na internet algumas pessoas desenvolvem uma verdadeira fixação por outras. O que as leva a este ponto? Existem muitas respostas... talvez, a primeira delas, a que mais nos ocorre, seja aquela velha forma de admiração apaixonada e não admitida, conhecida pelo nome de inveja; outras vezes, pode ser complexo de inferioridade - quase sempre, disfarçado em frases que exaltam a si mesmo e às suas próprias obras, e que à primeira vista, é confundido com complexo de superioridade. Mas também existem casos de loucura pura e simples, que pode ser tratável, ou senão, pelo menos atenuada através de medicamentos.

De qualquer forma, quem se fixa na personalidade de alguém, vive uma história que oscila entre o amor e o ódio, a admiração e a perversidade. Perde-se no outro enquanto perde-se de si mesmo. Um grande desperdício de tempo e de vida. 

Mas, se para todas as coisas existe uma explicação (embora nem sempre possamos alcançá-la), espero que Freud tenha desenvolvido uma boa explicação para esse tipo de atitude. E eu vou continuar procurando por ela.







9 comentários:

  1. Amiga Ana, gostei das tuas reflexões sobre um tema tão complexo.
    Eu, particularmente, sempre soube que estou bem distante da perfeição. Quanto aos segredos, bem, tema polêmico...
    Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. Ana, nem tudo Freud explica, complexo seu tema, pois é, psique é coisa séria minha amiga!
    Amei ler, com certeza nos passa algo, nos induz a refletir, eu por mim acredito que já nasci refletindo, nossa, quanto mais penso menos entendo o maquinismo do existir!
    Abraços linda amiga!

    ResponderExcluir
  3. Olá,Boa noite,
    Ana, o ser humano é hábil em criar mecanismos de fuga, ou seja culpar aos outros por tudo de ruim que acontece em suas vidas , até para diminuir as imperfeições e salientar as qualidades. Por outro lado, quando erramos e alguém aponta as nossas falhas, variadas são as reações, até revoltamo-nos contra àqueles que ousaram apontar os nossos defeitos, e o pior que geralmente, são essas as pessoas que nos querem bem...a incapacidade de controlar o rumo de cada um, cada pessoa ao seu tempo, jeito e modo , com o direito de viver os acontecimentos à sua maneira, na medida das suas emoções, é certo que cada um de nós tem o dever de procurar desenvolver a sua inteligência emocional e perceptiva, num ambiente com personalidades e rotinas diferentes para não perder-se no outro enquanto perde-se de si mesmo...esse momento de mundo umbilical, do ego inflado, da vaidade, do egoísmo , do ciúme, da inveja e do subestimar - a resiliência, inteligência e percepção das pessoas é tão comum ,que nem procuro aviltar mais e sim procuro de toda forma evitar esse tipo de pessoas,porque o que eles/as querem é protagonismo.
    estou de /em férias, mas vim agradecer pelo carinho das palavras em meu blog, pela companhia em 2014, meus desejos sinceros de Boas Festas e Feliz 2015 para ti e toda a família,pleno de saúde e realizações, T+, Belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
  4. Pena o ser humano ser taõ desumano
    são coisas que nem acreditamos, mas estão ai
    e existe...um belo texto pra se refletir

    Bom domingo

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Ana.

    Tudo bem ?
    As pessoas, estam sempre desenhando o seu mundo, e nunca acaba, esses rabiscos, não é mesmo ? Talvez por isso, fantasiamos tanto.
    Abraços, e bom dia de domingo.

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito desse seu texto. Quando passamos a frequentar terapeuta, ele pouco quer saber de nossas 'enrolações com os outros', claro que sempre tentamos sair pela linha de fora. Mas o que pesa é por que 'nós' agimos dessa ou daquela maneira. Qual foi o mecanismo que usamos para colocar a culpa em outra pessoa. Nós somos responsáveis pelos nossos atos.
    Quanto aos segredos... é difícil, basta alguém nos procurar para contar um segredo que ele deixa de ser segredo. Mario Quintana dizia: cuides o que contas aos teus amigos, porque os teus amigos têm amigos também!

    Beijo!!

    ResponderExcluir
  7. Ana, o ser humano é uma caixinha de surpresas, acho que nem Freud explica o nosso comportamento.
    Gostei da tua reflexão.
    Grande abraço minha amiga. Beijos!!

    ResponderExcluir
  8. Sei que sou imperfeita e admiro as pessoas que sabem lidar com tudo, sem se alterar. Segredos nunca me preocuparam e não gosto quando alguém se dispõe a me contar algum, porque eles trazem um enorme fardo (rss). Já temos tanto com que nos ocuparmos!!! Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

MISTÉRIO

  Existe um jardim, e nele, uma flor Que todos procuram Embora alguns digam que ela não é. E muito se diz sobre a sua cor: Vermelha o...