quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Nada me Disseram








Nada me disseram os teus olhos,
Naquele dia em que eu te revi.
Havia um rio bem no meio,
E nas margens, uma cidade.

Na cidade, ruas úmidas
Pelas quais nunca andarei...
Casas de janelas altas
Pelas quais nunca olharei.

Nada me disseram os teus olhos,
Quase não reconheci
O estranho que eu fitava
De quem nem me despedi.









7 comentários:

  1. É verdade, quantas vezes passamos por isso, no amor, nas amizades, com parentes, vizinhos... Mas chega um dia que a razão ou o coração bate o olho na verdade.
    Muito bonito.
    bjs, Ana.

    ResponderExcluir
  2. Os olhos nada disseram porque nada de bom havia restado para lembrar.
    Um abraço,
    Élys.

    ResponderExcluir
  3. Os olhos, espelho da alma, mas mesmo assim é insondável o pensamento no mar do silêncio !
    Belo Ana
    beijinho

    ResponderExcluir
  4. Assim com metáforas se constrói um magnifico poema.
    Por favor veja e comente o post
    Cidade de Fortaleza – Tratado deTaborda
    http://amornaguerra.blogspot.pt/
    BRASIL: SORRISO DE DEUS.

    bjs

    ResponderExcluir
  5. É... têm olhos que nos atravessam e nem assim dizem nada. Têm olhos que mergulhamos neles e não achamos nada, embora o brilho indicasse. Ouro de tolo. Parabéns.

    ResponderExcluir
  6. Nada disseram, mas é preciso isolar, para nada restar...
    Abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

O que Tem na Sua Playlist? Uma Interação

Inspirada por um comentário de paulo Bratz a um de meus posts, que fala sobre um aparelho de som que comprei na Black Friday,...