terça-feira, 21 de março de 2017

Um Jardim






Um jardim
Pode tornar-se quase o mundo inteiro.
As flores mudas falam aos olhos,
E os ecos de suas vozes miúdas
Ressoam no silêncio,
Compondo uma nova canção
Que as margaridas e as rosas interpretam.


Talvez alguém passe, e se pergunte:
"O que há do lado de dentro?"
E vá logo embora, se esquecendo,
Absorvido pelas urgências,
Sem saber que lá dentro, alguém está completo,
Sem saber que lá existe um mundo.







15 comentários:

  1. Adorei o teu poema, Ana !
    ( mesmo " sem saber que lá dentro, alguém está completo" )

    Um beijo, querida amiga.

    ResponderExcluir
  2. Parece tão simples este poema , contudo com tanto mundo no seu conteúdo , na mensagem que nos obriga a refletir , a acordar . Levemos então a mensagem das flores e esqueçamos as urgências , vivamos com alegria a simplicidade de cada dia . Maravilhoso , Ana.!
    Beijinho

    ResponderExcluir
  3. Poema encantador sempre um belo jardim, obrigado pela visita.
    Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde, O poema tem a maestria da poeta, assenta na perfeição num lindo jardim.
    AG

    ResponderExcluir
  5. Olá Ana

    Mundos dentro de mundos... Que maravilha!

    Mas de fato é preciso ter percepção

    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Perfeito, cara amiga Ana, um jardim pode ser um mundo. Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  7. E é um mundo encantado que nos renova a vida... Lindo e sensível, Ana, parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Um poema tão belo como o mundo encantado de um jardim.
    Parabéns por este recanto mágico de poesia, irei começar a Divagar por aqui.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  9. Puxa... show!!! Cada um tem um olhar diferente para os jardins, infelizmente nem todos são sensíveis. Parabéns!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...