quinta-feira, 9 de junho de 2016

O Peso dos Anos






Eu hoje acordei 
Com um peso estranho 
Por cima dos ombros.

Olhei-me no espelho,
E em cada marca,
Havia cem anos.

Os olhos não viam
O que sempre viram,
Mas viam paisagens
Que eu nunca toquei
Na estrada das rugas
Por onde eu segui
Depois que acordei.

Eu hoje pensei,
Lembrei-me de coisas
Que eu tenho perdido:

Presenças ausentes,
Das quais abri mão
Tentando um sentido.

A boca não disse,
Não houve palavras
Minha voz já cansada
De não ser ouvida.
-Ah, coisas da vida!
Depus o meu fardo
E dele me aparto...









11 comentários:

  1. Ah, o peso dos anos, cara amiga Ana! Belo poema.
    Um abraço. Tenhas uma ótima tarde.

    ResponderExcluir
  2. E depois de pousares o fardo, seguiste o teu caminho bem mais despreocupada !
    Somos o que somos em cada dia.
    Muito belo, Ana !

    Um beijo muito amigo.

    ResponderExcluir
  3. A cada dia, quando acordo, busco deixar todos os meus fardos na cama e retomo minha vida sem os mesmos. A idade não me permite mais fardos ... #fato

    ResponderExcluir
  4. Olá Ana
    O peso dos anos vem e sem misericórdia, quando olho no espelho me vejo mais velha, mas o coração continua daquela criança cheia de sonhos que brincava de boneca.
    beijinhos

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Boa noite, querida Ana!
    Muitas ezes acordamos sonolentas, rs... aí vemos peso em cima de nós... quando 'despertamos', vemos o quão somos felizardas em podermos saborear a vida e temos leveza na alma em ser tão dinâmica ainda, apesar da idade!
    Muito lindo seu poema!
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  6. Lindo poetar amiga Ana,enfim a vida é assim, o tempo parece que passa rapidamente quando não queremos, dia após dia, mas ainda há a alegria de poder dizer que o tempo que passou, valeu!
    Amei ler aqui, tudo bem colocado!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  7. Por vezes nós sentimos exatamente assim.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  8. Belo poema...
    As vezes me sinto assim, mas sei que a vida tem que ser vivida, e que os dias passam pra todos!

    Tenha uma linda semana.

    ResponderExcluir
  9. Bonito poema! O tempo passa e vamos ficando diferentes... Experimentamos então um novo conceito de "anos vividos"... É bom qdo olhamos p trás e vemos q crescemos e nos tornamos melhores!
    Obrigada pela visita por lá... Abraço

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde, Ana, tem horas que pesam...
    O melhor é mesmo se apartar, porque se pensar, vai incomodar!
    Feliz e abençoada semana, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  11. Olá Ana, uma perfeita parada no tempo e um olhar na jornada com a reflexão que vem remexer nossas velhas feridas não cicatrizadas.
    É vida, é historia, fardos que pesam sobre nossas costas.
    Belo trabalho amiga.
    Bjs de paz.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...