ControVERSOS



Imagem: Google






Dizia, olhava,
- Claro que queria!
O olhar queimava,
A boca vermelha,
Cereja molhada
Guardando seu mel
Na língua que ardia.

Movia a cintura,
Dançava, girava,
Cabelos ao vento,
Suor gotejava,
Amargo sorriso,
O riso amargava.

Fingia não ver,
Enxergar não queria!
A noite aguardava
À borda do dia
Um sonho, em promessa
Ao fim da tal festa...
E então, provocava,
Vulcão explodia!

Deitou-se, lasciva,
Na cama mal-feita,
Lânguida, desfeita,
A pele brilhando,
A boca pedindo,
O corpo aguardando
As mãos convidando...

E então, disse: "NÃO!"
Quebrou a magia,
Zombou do desejo
De quem lhe queria,
Despiu-se do fogo
Que lhe encendiava,
E logo, rogava
A quem lhe forçava:

"Me deixa sair,
Me deixa ir embora!"
Mas era um incêndio
O que ela causara,
E a água foi pouca,
Nem mesmo apagou
O fogo da cara,
Quiçá, o da fome
Que não saciara!

E a boca vermelha
Tornou-se borrada,
Os olhos que ardiam
Morreram de dor...
O corpo brilhante
Fechou-se ao amor,
Mais nada sobrou:
-Alquebrada alma
Sem paz e sem calma,
Que desmoronou!

A infância roubada
Nas mesas dos bares,
A crua vileza
Nascida dos ventres
Da indiferença;
A falsa inocência
Que nunca existiu,
Não chegou a ser,
Já nasceu mulher,
Nunca foi criança,
Não teve limites,
Não soube a esperança.

.

.

.

.

.

.

Comentários

  1. Lindíssimos versos!
    Tão bem descreves aqui o que é o instinto, tão forte é a luta entre o querer e o poder, o que se se dá, o que se espera ter, mas a vida é assim, cheia de mistérios e momentos controversos,que bem colocados no título desse belo poema, amei, achei imensamente criativo"controVERSOS"!
    Abraços linda amiga Ana!

    ResponderExcluir
  2. Uma história dura e real configurada por estes controVERSOS duros mas permeados pelo lirismo de sempre.

    Beijão Ana

    ResponderExcluir
  3. Mais um EXCELENTE poema, Ana !
    Eu teria preferido ficar-me pela estrofe " Que não saciara ! "

    Um enorme beijo, querida amiga, que respira POESIA por todos os poros.

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana que dureza, que crueza a vida desta menina, que sonhou e abusou dos desejos e sofreu as lambadas da vida, da insaciedade.
    Creio que tem de real da dura verdade que subiu o morro e desceu ao asfalto e espalhou para o mundo.Correto?

    Abraços amiga.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos