segunda-feira, 11 de abril de 2016

Naquela Flor





...E havia algo naquela flor,
Uma lágrima caída,
Formatada em dor.

Pétala encolhida,
Ressentida,
Vazia de amor.

Mas breve foi seu tempo,
Sua história,
Seu tormento...

Porém, eu a vi,
Soube de sua existência,
Gravei seu momento.




8 comentários:

  1. Que linda inspiração, linda a flor!
    Abraços amiga Ana!

    ResponderExcluir
  2. Uma flor sempre ficará gravada em nossa memória.
    Abraços,
    Élys

    ResponderExcluir
  3. Boa noite, querida Ana!
    Gostei muito! A florzinha singela tem vida curtinha mas encanta na sua efervecência...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  4. Boa noite, querida Ana!
    Gostei muito! A florzinha singela tem vida curtinha mas encanta na sua efervecência...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  5. Boa noite Ana!
    Que sensibilidade mais linda e sentida!
    Delicadeza incrível, amei, parabéns!

    *PS:. amanhã mais descansada vou ler O Anjo do Porão, já vi na chamada que é o fim. :(

    ResponderExcluir
  6. Naquela flor todo o encanto que a poetisa sabe como revelar.
    Amei Ana.
    Semana linda para voce.
    Meu terno abraço.

    ResponderExcluir
  7. Lindo poema!

    Inspirado e sensível.


    Muito bom minha amiga.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...