segunda-feira, 14 de março de 2016

DEBOCHE







Eu hoje me enfeito das flores
Que os outros jogam fora,
Construo buquês anêmicos
Com suas polêmicas
E com elas, 
Decoro a minha casa.

-Não levo a vida a sério!
Faço pouco de tudo aquilo
A que chamam de mistério,
Ergo o queixo com desdém
Enquanto o povo se debate
Entre os debates.

Eu hoje me divirto
Com o que mais irrita,
E fabrico meu açúcar
Do que lhes sobra de cica.




7 comentários:

  1. Boa noite, Ana. Um inteligente e bem-humorado poema.
    As metáforas usadas foram perfeitas!
    Fiz várias leituras, a última, vi poetizar claramente sobre o tema política.
    Parabéns.
    Amei!
    Tenha uma excelente semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, Ana. Um inteligente e bem-humorado poema.
    As metáforas usadas foram perfeitas!
    Fiz várias leituras, a última, vi poetizar claramente sobre o tema política.
    Parabéns.
    Amei!
    Tenha uma excelente semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  3. Gostei, o ser humano inteligente faz isso.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. interessante pensar sobre teu estado de espírito real no momento dessas palavras...

    ResponderExcluir
  5. Adorei,o importante é se reinventar sempre...,se divertindo !!!

    beijos !!

    ResponderExcluir
  6. Ana, é a forma mais sensata de se viver!
    Se divertindo com o que irrita... amei!
    Obrigada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  7. Há um tempo na vida que nos desprendemos e passamos a ver as coisas com olhos criticos.
    Muito bonito Ana.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Preciso de um Chão

Preciso de um chão firme, Que me dê segurança Para deixar a cabeça nas nuvens Sem medo de tropeçar. Preciso de um chão ...