quinta-feira, 3 de março de 2016

Absinto







Te deram uma estrela ao nascer,
E era absinto... 
Teus olhos infantis e inocentes,
Sonhavam com o amor simplificado,
Mas que mostrou-se inconsistente.

Numa tarde fria, entre lágrimas,
Tu me disseste: “Eu só queria ser feliz!”
Mas eu não pude dar-te alegria,
Não, não era eu tua fada madrinha!

As flores coloridas e formosas
Com as quais enfeitaram teus caminhos,
Eram todas elas, venenosas
E cheias de espinhos!

A felicidade que tanto desejavas,
Veio em curtos lampejos,
Fracos relâmpagos, entre raios e trovoadas,
E noites negras de puro medo!

E foram noites longas e arrastadas,
Sem sinais de qualquer amanhecer.
Os deuses para os quais rezavas
Eram todos obscenos, e não te salvaram.

-Será possível que alguém já nasça
Com esse signo, esse cálice de dor
Derramado na alma, destinada
A só penar, a só sofrer?

Finalmente, o teu amanhecer,
O ato final dessa peça sem ensaio,
A chuva benfazeja, após o raio;
Sobre tua vida, o selo da sorte,

Parece-me que o anjo cujas asas tocaste
E cujos olhos jamais viste
(Mas que também eram tristes)
Estendeu-te a mão, e te sorriu.

A tua estrela, o absinto,
Há de brilhar, e transformar-se em outra coisa,
Em giz de luz, para que escrevas em tua lousa
Entre flores e perfumes de jasmim,
A tua última palavra – aliviada: “FIM.”



Para Rosane





14 comentários:

  1. Olá,boa tarde,Ana, triste e belo...a Rosane, onde quer que esteja,está muito feliz... todos nós, de tempos em tempos fazemos esta pergunta,se viemos à esse mundo somente destinados à sofrer... subitamente todas as nossas fontes de felicidade,por menor que seja, perdem a sua importância, fica complicada de gerir a vida , ficamos vulneráveis, angustiados e tristes. Este é o principio da nossa desesperança pela vida e assim, cito Agostinho:" o nosso coração não repousa enquanto não encontrar o Senhor. "...
    Agradeço pelo carinho,belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana,boa tarde, é uma honra ser premiado com o Prêmio Dardos. Agradeço a sua indicação,mas, SOMENTE posso agradecer, pois , infelizmente, desativei a Página de Selos e Mimos e algum tempo já, não participo mais, conforme meu "Sobre" no menu do meu blog.....obrigado pelo carinho, belos dias, feliz semana, beijos!

      Excluir
    2. Não tem problema. Está tudo bem, Felisberto!

      Excluir
  2. Ah minha nossa, que lindo!
    A força dos versos, a forma criativa e única com que desenrolaste o fado, perfeito Ana!
    *Tentando fugir dos poemas tristes, mas não tem jeito, fiquei com cócegas para arriscar mais um, rs...

    Um prazer imenso ler poemas desta grandeza, obrigada!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Emocionante demais teus versos querida Ana, uma emoção doída por tantas vezes perceber um pouco de mim, de ti e de todos nós nas entrelinhas, pois assim é a alma humana.Adorei o Absinto, até a ultima gota! Muito grata por seu lindo comentário em meu blog, adorei sua visita. O SEU: Maravilhoso!!! Parabéns, bjss

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana
    mesmo entre a tristeza, o sorriso pode nascer, independente dos acontecimentos.
    beijinhos

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. "Finalmente, o teu amanhecer..."
    Que também será o nosso...!
    Lindo, Ana!
    Que encontremos a paz em nosso repouso final!
    Agradeço pela partilha, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito, Ana !
    E do princípio até ao FIM !
    Mas vou destacar estes versos :
    " E foram noites longas e arrastadas,
    Sem sinais de qualquer amanhecer.
    Os deuses para os quais rezavas
    Eram todos obscenos, e não te salvaram."

    Um beijo e até amanhã.

    ResponderExcluir
  7. Dureza ver os minutos se arrastando e o amanhecer cada vez mais longe.
    Um trabalho triste, uma saudade presa na garganta.
    Enfim o fim.
    Abraços Ana.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Ana.
    "Cantaste" a tristeza de forma tão linda.
    bj amg

    ResponderExcluir
  9. Lindos, profundos e tristes versos.
    Pode ter certeza que há pessoas que já trazem esse estigma ao nascer e o levam consigo até a morte!

    Boa noite, Ana!!!

    ResponderExcluir
  10. Lindo e perfeito. Parabéns pela surpreendente apreensão do momento fugidio e fluido.
    É ótimo para ler e saborear.

    ResponderExcluir
  11. Uma melancolia subjacente mas q embeleza ainda mais suas letras ...

    ResponderExcluir
  12. A felicidade é o sonho de todos, mas os caminhos não são para todos floridos e belos. A dor acompanha seus versos lindos, que aplaudo. Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...