segunda-feira, 28 de setembro de 2015

OCASO







O ocaso, não por acaso,
É um momento inevitável,
Que torna o raso, profundo,
E torna o profundo, raso.

O céu fica avermelhado,
As nuvens, em finas camadas,
Ganham cores encrustadas
Entre as dobras de suas rugas.

Quando o céu amadurece,
Cores tingem o horizonte
Com seus tons inadiáveis,
-Mas o azul, este, fenece!

E surge a primeira estrela,
E logo, outra, e mais outra
A brilharem sobre as telhas,
Salpicadas nas esquinas.

E não se vê mais o céu,
Apenas as cintilantes
Estrelas, quais diamantes
Numa caixa de veludo
Cheirando a naftalina.


"Ocaso" fará parte de meu próximo livro, que contém apenas poemas inéditos. Não sei ainda onde vou lançá-lo. Falará sobre a maturidade e sobre o envelhecer.
 


14 comentários:

  1. Sucesso querida amiga nesta nova empreitada. O amadurecimento, o ocaso merecem esta atenção pois se revestem de uma beleza própria, tão ou mais incrível que o nascer ...

    ResponderExcluir
  2. Olá, querida Ana
    Que lindo deverá ser seu livro, ficarei desejando lê-lo desde já... O título é fascinante!
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  3. Que pena eu não poder ir ao lançamento deste teu livro, Ana !
    Este OCASO é uma maravilha !
    És uma enorme Poetisa !

    Um beijo e muitos parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Tenho dito.. o ocaso é não é um acaso. Parabéns pelo poema, Ana.

    ResponderExcluir
  5. Duas versões que se aplicam, com propriedade, à natureza e à vida. Um lindo poema, Ana. Quando lançar seu livro, avise, pois vou adquiri-lo. Certamente, será um sucesso. Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Acho tão lindo, rico essa fase do envelhecer, da maturidade.
    parabéns e sucesso pelo novo livro!
    "Ocaso" está belo assim como a foto!
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Ana, o ocaso me fascina, tudo a ver com acompanhar e aceitar o envelhecer, é uma pena que eu não consiga mais postar os ocasos que vivencio, são tão lindos e estão sem registro.
    Aguardarei por seu livro, obrigada, tenha uma excelente semana, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  8. Ana Bailune, não é por acaso, que OCASO é um excelente poema. Já que a tua poesia é fascinante.
    Parabéns e muito sucesso para o teu livro,
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. A imagem e os versos são bonitos!
    O ocaso não é por acaso!

    Abraço

    ResponderExcluir
  10. Ana, eu sempre amei um por de sol, fico tipo hipnotizada com tanta beleza.
    Seus versos são simplesmente majestosos e desenham o sabor do alaranjado.

    Sucesso e parabéns por mais uma publicação que.... CLARO, vou querer um exemplar. rs

    bacios

    ResponderExcluir
  11. Um momento magico do dia que muito me agrada desde o seu inicio até o fim quando enfim a noite vem.
    Belo retrato deste instante.
    Que venha o livro para nosso deleite.
    Abraços amiga e sucessos com este novo filho que queremos adotar.
    Bju

    ResponderExcluir
  12. Bela paisagem pintaste em versos, parabéns! Sucesso para o novo livro, estou aguardando também. Bjs

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

IDADE

UMA BRINCADEIRA - MAS UMA BRINCADEIRA SÉRIA! IDADE A idade  tocou-me no ombro,  Perguntando: “Quem é você?” ...