quarta-feira, 30 de setembro de 2015

NUVEM






Eu sou uma nuvem que passa,
Por sobre uma rica paisagem.
O silêncio é quem me segue
Inconteste, na passagem. 

Nasci de um vapor soprado
Muito inesperadamente
Por um vento já tardio,
E quem sabe, indesejado.

Cresci sempre pelos cantos,
Inventando meus azuis
Sem que ninguém desse conta,
Achei, nas trevas, a luz.

O que eu tinha a dizer
-Quase sempre, ignorado
Por ouvidos sempre surdos
E olhos sempre fechados.

Tentaram cortar minhas asas,
Relegaram-me a um chão
Por onde eu só me arrastava
Sobre os joelhos e as mãos.

Por muitos e longos anos,
O meu nome eu assinava
Sobre as linhas pontilhadas:
-Nada, Nada, Nada, Nada!

Alguém bateu à minha porta,
E pegou-me pela mão,
Ergueu-me daquele chão
No qual eu vivia morta.

Apontou-me um céu azul,
Soprou-me em nuvem tão leve,
Ensinou-me a flutuar,
A pairar sobre o que é breve.

E os que sempre me negaram
Continuam pelo chão
Os olhos sempre fechados:
-Não me viram, nem verão...




A gente passa metade da vida se iludindo a respeito de pessoas e coisas, dando importância ao que pensam de nós, aos lugares aos quais nos relegam, tentando agradar, ser útil e ser aceito. Graças a Deus, posso dizer que passarei a outra metade da minha vida livrando-me destes grilhões aos quais chamam "laços", mas que só apertam de um lado - o mais doloroso. Quero ser como uma nuvem: leve, vaporosa, pairando acima, tão frágil, que pode ser desmanchada por um vento brando. Mas o hálito desse vento será o de Deus, e nunca mais o de seres humanos.

8 comentários:

  1. Vdd, a gente passa tanto tempo tentando agradar e nem sempre recebemos o mesmo em troca, chega um dia que tudo muda, passa e cansa.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Assim acontece muito na vida, mas temos de continuar caminhando. No meu modo de pensar, desejando que todos sejam felizes e que Deus nos abençoe sempre.


    Após um tempo que estive afastado dos blogues, para descansar, aos poucos vou retornando às minhas visitas.
    Um abraço.
    Élys

    ResponderExcluir
  3. Já de algum tempo entrei neste processo de romper grilhões ... como isto é bom ... hoje me dou ao luxo de não fazer mais nada q não goste ... não gosto/não faço e pronto.

    ResponderExcluir
  4. Linda amiga, amei ler aqui seus belos versos de libertação, pois é, amar e ser amado é muito bom, do contrário nem vale a pena!
    Que linda inspiração!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  5. Linda inspiração nesta nuvem que passa sem ser passageira.
    A vida toda nos ensinam a criar laços que nos prendem e as vezes sufocam.
    Beleza de construção Ana com sua arte sempre bela e acelerada.
    Abraços amiga.

    ResponderExcluir
  6. Logo o início do poema
    ( " Eu sou uma nuvem que passa,
    Por sobre uma rica paisagem.
    O silêncio é quem me segue " )
    me deixou encantado, Ana !

    Um beijo deste teu fã incondicional.

    ResponderExcluir
  7. Ana, como é bom, quando nos desvencilhamos dos laços que nos prendem ao chão.
    Fiquei muito mais tempo presa, mas não me importa, contanto, que consiga ser livre e deixar nas mãos de Deus os rumos da minha vida.
    Me encanto com você que, tão lindamente, flutua, leve como a nuvem, embelezando o céu de nossa vida. Obrigada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  8. "A gente passa metade da vida se iludindo a respeito de pessoas e coisas, dando importância ao que pensam de nós, aos lugares aos quais nos relegam, tentando agradar, ser útil e ser aceito."

    Isso aí em cima, Ana, penso ser uma epidemia, não é privilégio seu, nem meu (rs) são bilhões nesse planeta assim, o que é terrivelmente desgastante, chato, aborrece. Também estou nesse processo e estou adorando o resultado que estou obtendo. Dei um basta! Por que isso? No momento em que achamos a resposta, o negócio fica fácil, flui.
    Gosto das tuas exposições sinceras.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...